quinta-feira, 4 de maio de 2017

APROXIMAÇÃO COM DUTERTE

Donald Trump abraça mais um tirano, diz ‘NYT’

Jornal diz que Trump tem uma perigosa afeição por tiranos (Foto: USNI)

A admiração de Donald Trump por líderes tiranos ameaça os valores há séculos defendidos pelos Estados Unidos. É o que conclui um editorial publicado pelo jornal New York Times, na última segunda-feira, 1.

Intitulado “Donald Trump abraça outro déspota”, o editorial diz que preceitos como a democracia, direitos humanos e o Estado de Direito, responsáveis por moldar a reputação americana e criar um sistema global, que inclui as Nações Unidas, podeM não sobreviver ao governo Trump.

O texto usa como exemplo a recente decisão do presidente americano de convidar o presidente filipino, Rodrigo Duterte, para visitar a Casa Branca. O convite foi feito em uma série de telefonemas de Trump para líderes asiáticos e a visita ainda não tem data marcada.

“Embora as Filipinas sejam aliadas e uma democracia, Duterte não é um líder democrático nem um aliado válido. Durante duas décadas como prefeito de Davao, ele é acusado de permitir que esquadrões da morte percorressem a cidade, matando livremente. A maioria das vítimas era usuários de drogas pobres e criminosos de baixo escalão, mas transeuntes, crianças e opositores políticos também foram mortos no banho de sangue”, diz o texto.

O jornal lembra que, após ser eleito presidente no ano passado, Duterte elevou sua campanha de execuções a nível nacional, dando a policiais e milicianos autorização para implementar uma sangrenta campanha de combate às drogas que já ceifou mais de 7 mil vidas. O editorial também lembra que durante a gestão de Barack Obama, Duterte já ameaçou substituir a aliança com os EUA por uma com a China e desrespeitou Obama, chamando-o de “filho da p*”.

O texto alerta que não é a primeira vez que Trump expressa admiração por líderes tiranos que, assim como ele, desprezam a prestação de contas por parte do governo, o que inclui o respeito aos tribunais.

“Trump já demonstrou admiração pela retórica agressiva de Duterte contra o Estado Islâmico e as drogas. Ele enalteceu Recep Tayyip Erdogan pela vitória em um referendo discutível que ampliou seus poderes e o convidou para visitar a Casa Branca em 16 de maio. Ele também já deu uma recepção amistosa ao presidente do Egito, Abdel Fattah el-Sisi, barrado na Casa Branca após orquestrar um golpe há quatro anos atrás e prender milhares de opositores políticos. Ele substituiu suas críticas ácidas contra a China por elogios ao presidente Xi Jinping e expressou uma bizarra afeição pelo presidente russo, Vladimir Putin”, diz o editorial.

O jornal finaliza o editorial afirmando que os presidentes americanos precisam trabalhar com diferentes tipos de líderes para alcançar interesses nacionais, mas diz que “Trump erode a reputação americana quando abraça, sem qualquer ressalva, aqueles que ignoram os direitos humanos, o Estado de Direito e a democracia”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário