terça-feira, 2 de maio de 2017

TECNOLOGIA - Vale do Silício trabalha em carro voador

Apesar do conceito de carro voador, o veículo é bem diferente de um carro de verdade (Foto: Kitty Hawk)

Décadas atrás, quem assistia o desenho animado “Os Jetsons” imaginava que, em 2017, já existiriam carros voadores. Para uma companhia do Vale do Silício, tal ideia não é mais inimaginável.

Recentemente, um engenheiro espacial pilotou um carro voador em cima de um lago, em São Francisco, nos Estados Unidos. O veículo foi criado pela empresa Kitty Hawk, que visa produzir mais modelos do tipo.

Apesar do conceito de carro voador, o veículo é bem diferente de um carro de verdade. O protótipo é aberto e só tem espaço para uma pessoa. Ele funciona a partir de oito baterias. Além do desafio tecnológico, há a questão da regulamentação do governo. No entanto, a maior questão parece ser convencer o público de que um “carro voador” não é maluquice.

A companhia está tentando ser pioneira no mercado. Ela planeja vender seu primeiro carro voador até o final do ano. Mas engana-se quem acha que a Kitty Hawk não vai enfrentar concorrência. E não apenas de startups, mas de gigantes como a Airbus, que já anunciou seu VTOL, sigla em inglês para “veículo de decolagem e aterrissagem vertical”.

Enquanto não há regulamentação, o engenheiro espacial Cameron Robertson, da Kitty Hawk, voa sob uma categoria especial da Administração Federal de Aviação dos EUA para aviões super leves que não necessitam de carteira de piloto. Estes veículos são para uso recreativo em áreas sem congestionamento. Para que esses veículos pessoais possam funcionar nos Estados Unidos, o país vai precisar de um novo sistema de controle de tráfego aéreo.The New York Times

Nenhum comentário:

Postar um comentário