quarta-feira, 2 de agosto de 2017

CRISE VENEZUELANA - Líderes da oposição voltam a ser detidos na Venezuela

López e Ledezma teriam sido retirados de suas casas por agentes do Sebin (Fonte: Reprodução/AFP)

Dirigentes políticos da oposição venezuelana e familiares denunciaram que Leopoldo López e Antonio Ledezma, que estavam em prisão domiciliar, voltaram a ser detidos na madrugada desta terça-feira, 1º, por agentes do Serviço de Inteligência (Sebin) da Venezuela.

Em sua conta no Twitter, a mulher de López, Lilian Tintori, escreveu: “acabam de levar Leopoldo de casa. Não sabemos onde ele está, nem para onde o levaram. [Nicolás] Maduro é responsável se algo lhe acontecer”. Lilian também publicou um vídeo que mostra o momento em que o opositor é supostamente retirado de sua casa, onde estava desde o dia 8 de julho.

Um outro vídeo publicado pelo coordenador do partido Alianza Bravo Pueblo (ABP), o deputado Richard Blanco, mostra o momento em que supostos agentes do Sebin retiram Ledezma com violência de sua casa, onde estava desde abril de 2015.

Dirigentes dos partidos de López, o Vontade Popular, e de Ledezma, o ABP, responsabilizam Maduro pela integridade física dos dois líderes da oposição. Não há informações sobre o paradeiro de ambos, ainda segundo os dirigentes.

Após ser detido em fevereiro de 2015 acusado de conspiração e formação de quadrilha, Ledezma passou dois meses na prisão militar de Ramo Verde. Por motivos de saúde, o opositor passou a cumprir prisão domiciliar. Já López ficou três anos e cinco meses preso e teria sido torturado diversas vezes durante esse período, segundo a sua defesa.

Na última semana, López e Ledezma divulgaram mensagens na internet pedindo que as pessoas não fossem votar na eleição da Assembleia Constituinte e que a comunidade internacional não reconhecesse a Constituinte convocada pelo presidente Nicolás Maduro.Uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário