sexta-feira, 21 de julho de 2017

ÁREAS DE PROTEÇÃO EM RISCO

Temer avança desmatamento na Amazônia em troca de apoio

Para os críticos, Temer está trocando árvores por votos na Câmara (Foto: Agência Brasil)

Uma área de floresta nacional protegida por lei na Amazônia está ameaçada pela tentativa do governo brasileiro e da bancada ruralista de reduzir as áreas de conservação do país. O alerta foi dado por ativistas da rede WWF, em entrevista ao Financial Times.

Segundo os ativistas, o presidente Michel Temer está prestes a redesenhar as fronteiras da Floresta Nacional do Jamanxim, no Pará, retirando a proteção de uma área equivalente ao tamanho de Portugal. “O Brasil está diante de uma ofensiva sem precedentes contra áreas de proteção”, disse Marco Lentini, da WWF Brasil, em entrevista ao ‘FT’.

Para os críticos, Temer está trocando árvores por votos ao apoiar demandas da bancada ruralista que facilitariam as operações em áreas protegidas, em troca do apoio dos mesmos na votação da denúncia contra ele no Congresso.

No próximo dia 2 de agosto, a Câmara vai votar se autoriza que a denúncia apresentada contra Temer pela Procuradoria-Geral da República (PGR) seja analisada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente é acusado de corrupção passiva no escândalo da JBS. Para que a denúncia seja analisada pelo STF, são necessários os votos de dois terços da Câmara, o que representa 342 deputados do total de 513. Diante disso, Temer tenta negociar todo apoio possível.

No mês passado, Temer vetou duas propostas suas apresentadas ao Congresso, as MPs 756 e 758. As propostas foram vetadas após a Noruega cortar pela metade a verba que o país pretendia destinar no próximo ano ao Fundo da Amazônia.

Porém, logo após o veto, o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, enviou ao Congresso um projeto de lei para transformar cerca de 27% da área da Floresta Nacional do Jamanxim em área de proteção ambiental (APA). Na prática, isso representa redução no grau de conservação da área e tornará menos protegida uma área de 350 mil hectares. Sarney anunciou a proposta em um vídeo, assegurando aos ruralistas que ela terá o mesmo efeito das MPs vetadas.

A preocupação em torno da proteção às florestas do Brasil ocorre em meio ao aumento no desmatamento na Amazônia. No ano passado, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) relatou que o desmatamento na Amazônia aumentou 29% em relação a 2015.Financial Times

Nenhum comentário:

Postar um comentário