quarta-feira, 26 de julho de 2017

LEVANTAMENTO - Temer liberou R$ 2,1 bilhões em julho para barrar denúncia

Do total liberado em emendas em 2017, mais de 82% foi para deputados federais (Foto: ABr)

Os gastos do presidente Michel Temer para barrar a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra ele por corrupção passiva custaram aos cofres públicos R$ 2,1 bilhões somente neste mês de julho.

Os dados são de um levantamento divulgado na última segunda-feira, 24, pela ONG Contas Abertas. O levantamento considera o orçamento empenhado pelo governo, ou seja, compromissos assumidos para pagamentos posteriores.

Segundo a organização, entre janeiro e 19 de julho de 2017, o governo federal liberou R$ 4,1 bilhões em emendas para parlamentares. Deste total, a maior parte foi liberada em julho: R$ 2,1 bilhões. As emendas vêm funcionando como uma moeda de troca entre o presidente e deputados. A estratégia consiste em liberar verba para emendas em troca de lealdade no voto contra a denúncia no Congresso.

Do total liberado em emendas em 2017, mais de 82% foi para deputados federais (R$ 3,5 bi) e o restante para senadores. No topo do ranking de beneficiados estão as bancadas estaduais do Maranhão, Roraima e Rio Grande do Norte.

A liberação dos recursos ocorre em pleno momento que o governo lida com um déficit fiscal de R$ 139 bilhões. Além disso, o montante empenhado pelo governo para emendas este ano já representa 70% do corte de gastos promovido nas contas públicas. Na semana passada, o Ministério do Planejamento anunciou um contingenciamento de mais R$ 5,9 bilhões nas despesas do governo federal.Jornal do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário