segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Mensagem do Dia

RELATÓRIO... Brasil precisa de 95 anos para atingir igualdade de gêneros

Apesar da desigualdade entre gêneros, a mulher brasileira tem melhores indicadores na educação e na saúde (Foto: Pixabay)

Esta semana, o Fórum Econômico Mundial divulgou um relatório anual que analisa as diferenças de oportunidades entre homens e mulheres em 144 países. Segundo o documento, no ritmo atual, seriam necessários 95 anos para que mulheres e homens atingissem a situação de plena igualdade no Brasil.

Neste ano, o Brasil está na 79ª posição do ranking global. No ano passado, ele estava na 85ª posição. Apesar de parecer um bom avanço, a pontuação do país só subiu marginalmente 0,687, quando o ideal deveria term subido 1 ponto.

Apesar da desigualdade entre gêneros, a mulher brasileira tem melhores indicadores na educação e na saúde. Para cada estudante homem no ensino superior brasileiro, elas ocupam 1,3 vagas. Esta é uma tendência mundial, já que elas são a maioria dos estudantes universitários em 95 dos 144 países pesquisados. Na saúde, as brasileiras vivem em média cinco anos a mais que os brasileiros.

Então, por que o Brasil continua tão desigual entre gêneros? Segundo a chefe para iniciativas de gênero e emprego do Fórum Econômico Mundial, Saadia Zahidi, é necessário adotar estratégias pragmáticas que promovam a inclusão das mulheres no mercado de trabalho bem remunerado e na política. “Para mudar isso, é necessário uma abordagem consciente, do ponto de vista econômico, para o aproveitamento desses talentos. Já temos mais mulheres se graduando na universidade do que homens, não se trata do futuro, isso já é o presente. Precisamos agora empregar essa força produtivamente”.

Segundo ela, a situação se complica ao observar que a visão geral ainda é de que as mulheres que devem cuidar da família. “Também é necessário mudar as percepções. Diversidade precisa ser vista como um motor para crescimento, propiciando investimento maior em infra-estruturas de cuidado. Mulheres de alta renda conseguem pagar para ter ajuda para as crianças e os idosos, mas mulheres de classe média e baixa não conseguem. É necessário oferecer a elas uma rede de apoio social que as liberte para o trabalho”.

O ranking também leva em consideração fatores como o tempo que uma mulher liderou o país e a porcentagem de representação feminina nas posições políticas mais altas. “Em uma democracia é necessário haver representatividade. As mulheres são metade da população e deveriam ter representação política semelhante. A presença de mulheres em posição de liderança tem um impacto expressivo sobre o empoderamento, pois estabelece papéis modelo aos quais novas gerações aspiram. Estudos da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) mostram que mulheres em posições de liderança política influenciam positivamente a distribuição de recursos públicos. Elas tendem a fazer escolhas mais solidárias, alocando orçamento para partes da sociedade anteriormente negligenciadas, o que resulta em redução de desigualdade de renda”.

No topo do ranking ficaram Islândia (1º), Finlândia (2º), Noruega (3º), Suécia (4º), Ruanda (5º), Irlanda (6º), Filipinas (7º), Eslovênia (8º) e Nova Zelândia (9º).BBC

ARTES.. A desigualdade de gênero no meio artístico

Um novo estudo revelou que a desigualdade salarial é tão presente nas artes como em qualquer outra área(Foto: Pixabay)

A diferença salarial entre os homens e mulheres no mercado de trabalho nos Estados Unidos não é uma novidade. Mas quanto às artes? O meio artístico é conhecido por sua singularidade e pela presença de pessoas liberais. No entanto, um novo estudo revelou que a desigualdade salarial é tão presente nas artes como em qualquer outra área.

Um relatório divulgado no início deste ano por um grupo de pesquisadores da Universidade de Lehigh, da Universidade Vanderbilt e da Universidade Estadual do Arizona comparou salários por gênero e mostrou que, em média, os homens ganhavam quase US$20,000 mais do que as mulheres. Os pesquisadores usaram dados do Strategic National Arts Alumni Project, que inclui mais de 33 mil pessoas com formação em artes.

Mas em um aspecto o campo das artes diferencia-se de outras atividades profissionais. Os pesquisadores descobriram que, enquanto as mulheres em quase todas as áreas tinham uma redução salarial após a maternidade, as artistas, em cada novo filho, tinham um pequeno aumento salarial de cerca de US$780 por ano. Essa diferença era resultado em parte das tendências liberais dos artistas, que incentivavam o compartilhamento da educação dos filhos e desestimulavam os chefes a causarem prejuízo às mães. Mas os pais eram ainda mais beneficiados com o nascimento de filhos. O estudo mostrou que os homens tinham um aumento salarial de US$8,000 por ano por cada novo dependente.

A explicação mais plausível para a ausência da redução de salário é a especificidade do trabalho artístico. Uma carreira artística envolve a elaboração de projetos e dá mais oportunidades de exercer as atividades sem um emprego formal. Esses fatores aumentam a flexibilidade dos horários de trabalho e permitem que as mães conciliem as responsabilidades com a família sem prejudicar o trabalho e, por extensão, sua renda.The Economist

ENERGIA RENOVÁVEL... Fontes renováveis superam carvão em capacidade de energia

Em 2015, foram instalados diariamente cerca de 500 mil painéis solares (Foto: Pixabay)

Cerca de 500 mil painéis solares foram instalados diariamente em 2015 e essa marca estabeleceu um novo recorde para geração de energia: pela primeira vez, as fontes renováveis ultrapassaram o carvão como fontes com maior capacidade de energia instalada no mundo. Além disso, autoridades da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) afirmam que em países como a China, cerca de dois aerogeradores (como são chamados os sistemas de geração de energia eólica) foram ativados por hora, o que expõe um grande crescimento dessas fontes.

“Estamos testemunhando uma transformação dos mercados de energia global liderados pelas renováveis”, afirmou Fatih Birol, diretor executivo da IEA. Com isso, a agência já enxerga que o rápido crescimento das fontes de energia renovável tende a continuar.

De acordo com Birol, parte desse crescimento foi causado pela queda nos custos da energia solar e eólica, o que para ele seria impensável há cinco anos. Um relatório publicado pela IEA esta semana, mostrou que o custo médio global para implementar parques eólicos caiu cerca de 30% entre 2010 e 2015, enquanto a instalação de grandes painéis de energia solar tiveram uma redução de dois terços em seu custo. A agência acredita que os custos para a energia renovável tendem a reduzir ainda mais nos próximos cinco anos, caindo em média 15% para energia eólica e 25% para a solar.

A IEA afirma que 2015 foram instalados projetos capazes de gerar 153 gigawatts de energia elétrica limpa, sendo a maioria deles em energia eólica e solar, o que corresponde a uma quantidade maior que a atual capacidade de geração de energia total do Canadá. Esse número também é maior que a quantidade de energia convencional à base de combustíveis fósseis ou fontes nucleares vinda de projetos implantados em 2015.

Apesar de superar o carvão em relação à capacidade de gerar energia, o carvão ainda supera a geração de eletricidade. Usinas de carvão abasteceram cerca de 39% de toda a demanda de energia no mundo em 2015, enquanto as renováveis, incluindo as hidrelétricas, geraram 23% dessa energia, de acordo com a IEA.

No entanto, a agência acredita que as renováveis serão responsáveis por 28% da energia mundial em 2021, ano em que eles preveem que essas fontes gerarão o equivalente a toda energia atual gasta nos Estados Unidos e na União Europeia juntas.

Para o chefe da divisão de energia renovável da IEA Paolo Frankl, os grandes responsáveis por esse crescimento são as políticas de incentivo a essas fontes, por conta das mudanças climáticas discutidas recentemente no acordo de Paris. Para ele, há uma vontade notável desses países de ratificar o acordo e isso impulsionará ainda mais a energia renovável.

Entretanto, Frankl alerta que muito desse crescimento depende de políticas governamentais, que estão mudando em alguns desses países. “Ainda há muito o que fazer. São muitas políticas que ainda estão incertas”.Financial Times

MANOBRA NA CÂMARA... Deputados tornam a articular anistia para caixa dois eleitoral

Não é a 1ª vez que deputados se articulam para anistiar envolvidos (Foto: Agência Câmara)

Parlamentares da Câmara dos Deputados estão aproveitando o debate em torno das dez medidas anticorrupção, propostas pelo Ministério Público Federal (MPF), para anistiar políticos envolvidos em caixa dois eleitoral.

Apresentado este ano, o projeto do MPF traça dez propostas legislativas que têm como objetivo prevenir a corrupção na esfera pública. Uma delas prevê a criminalização do caixa dois em campanha eleitoral e estabelece penas de até 16 anos para a prática.

No entanto, um grupo de deputados planeja usar uma brecha para anistiar políticos envolvidos na prática. Eles se baseiam na determinação da Constituição de que a lei penal passa valer a partir de sua tipificação, não podendo ser usada de forma retroativa para prejudicar o réu. Logo, deputados envolvidos no esquema antes da publicação da lei seriam anistiados.

O relator do projeto, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM) disse não acreditar que a medida anistiaria parlamentares investigados pela Operação Lava Jato. Isso porque, segundo ele, os envolvidos continuariam a responder por crimes como corrupção e desvio de verba pública.

Lorenzoni também propõe a diferenciação entre verba ilícita e verba não contabilizada. Ele propõe uma pena diferente para casos em que houver arrecadação de verba de origem ilícita, mesmo que declaradas à Justiça Eleitoral, e para casos em que o caixa dois for abastecido por verba que não tem origem ilícita, mas não foi contabilizada.

“Temos que separar o joio do trigo. Não é justo punir com a mesma pena quem recebe doação de valor ou bem que é lícito, mas não declara, do que recebe dinheiro ilícito. A pena tem que ser maior para bens de origem ilícita. E quem dirá se é lícito ou ilícito é o MP e a própria Justiça”, disse o deputado.

Não é a primeira vez que há articulação para anistiar políticos envolvidos em caixa dois. Em setembro, um grupo de parlamentares, entre eles membros do governo de Michel Temer, tentou votar um projeto de lei que poderia resultar na anistia.

Na época, o ministro da Secretaria do Governo, Geddel Vieira, afirmou que o fato de o MP propor criminalizar a prática, mostra que, atualmente, ela não é crime. “Se pede isso, é lícito supor que caixa dois não é crime. Se não é crime, é importante estabelecer penalidades aos que infringirem a lei. Agora, quem foi beneficiado no passado, quando não era crime, não pode ser penalizado. Esse debate tem que ser feito sem medo, sem preconceito, sem patrulha e sem histeria”. A proposta de votação foi mal recebida e os Deputados acabaram desistindo da votação.Congresso em Foco

ELEIÇÕES AMERICANAS.. Qual a raiz da antipatia em relação a Hillary Clinton?

O fato de Hillary estar sempre envolvida em escândalos não a tem ajudado (Foto: Tech Sgt. Cohen A. Young)

Para entender a boa reputação de Hillary Clinton como senadora e secretária de Estado, esqueçam seus admiradores mais próximos. Mas também deem um desconto na opinião de alguns partidários de Bill Clinton, que agora ganham dinheiro criticando duramente a candidata democrata, como Dick Morris. Quando não escreve artigos polêmicos de oposição a Hillary, Morris é o principal colunista político do National Enquirer, um tabloide que descreve a candidata de 68 anos como uma lésbica predatória à beira da morte.

Essas opiniões não definem bem a avaliação complexa do desempenho de Hillary Clinton em sua vida pública e privada. Cerca de 55% dos americanos têm uma visão desfavorável de Hillary; em torno do mesmo número não confia nela. No entanto, as pessoas que a conhecem, mesmo os críticos, elogiam sua integridade. Ela é um político e, portanto, às vezes defende seus interesses e assume uma postura cínica, mas motivada, dizem, pelo desejo primordial de incentivar o progresso dos Estados Unidos.

Qual é a explicação para a impopularidade de Hillary Clinton, que em 8 de novembro levará milhões de americanos a votarem em um homem que se vangloria de suas proezas de assédio sexual?

A antipatia em relação a Hillary Clinton não é apenas uma fantasia de ódio dos partidos de direita, seu nível de rejeição e desconfiança também é grande no Partido Democrata. Quase um terço dos democratas discordam da recente decisão do FBI de não recomendar um processo judicial contra ela ao Departamento de Justiça, em razão dos e-mails enviados por servidores privados quando era secretária de Estado.

Hillary Clinton tem uma baixa popularidade entre os eleitores mais jovens, que desconfiam da política do governo e defendem uma mudança radical. Essa opinião não se limita aos jovens do sexo masculino da geração do milênio, mas também às mulheres, que em grande parte demonstrou indiferença pela perspectiva de uma mulher ocupar pela primeira vez o cargo de presidente da República dos EUA.

Hillary Clinton já passou por essa experiência de rejeição. Assim que atraiu a atenção do país em 1991, durante a primeira campanha presidencial do marido, o público assumiu uma posição hostil a seu respeito. “Assim como nas corridas de cavalos, a aversão a Hillary passou a ser um dos temas de conversa que uniu a elite e a classe menos favorecida do país”, dizia um artigo publicado pela revista New Yorker em 1996. Mas não havia uma explicação plausível para o clima de hostilidade criado.

O fato de Hillary estar sempre envolvida em escândalos não a tem ajudado. Eles deixaram uma impressão pouco lisonjeira ao seu respeito. Com sua percepção para explorar os piores instintos dos americanos, Donald Trump tem procurado estimular uma repulsa misógina a Hillary desde o início da campanha. Quando ela pediu para fazer uma pausa em um debate nas eleições primárias para ir ao toalete, Trump disse que sua atitude era “repugnante”. Um tweet que dizia “Se Hillary não consegue satisfazer o marido, o que a qualifica para satisfazer os EUA?” foi retransmitido da conta do Twitter de Trump, embora, é claro, ele tenha dito que desconhecia o fato.

Agora Trump diz que sua adversária e convidada para sua festa de casamento em 2005 (“uma mulher extraordinária”, dizia na época) é culpada de assassinato e adultério. Seus partidários usam camisetas com os dizeres vulgares, “Trump that bitch” e “Hillary sucks, but not like Monica”.

Eles são responsáveis pelo sentimento de ódio a Hillary nessa eleição. Mas sempre houve a expectativa que as mulheres reagiriam a essa campanha misógina e agressiva. Por fim, os eleitores do sexo feminino estão apoiando Hillary. A candidata democrata tem 20 pontos percentuais nas pesquisas de intenção de votos entre o eleitorado feminino, em comparação com apenas sete pontos percentuais de eleitores masculinos de Trump. The Economist

AT&T E TIME WARNER... Futuro da mídia está repleto de grandes fusões

Fusão é a maior dos últimos anos do setor de mídia (Foto: Flickr)

Um negócio de US$ 85,4 bilhões é, antes de tudo, uma garantia de sucesso de bilheteria. O acordo da gigante de telefonia móvel e de TV a cabo AT&T para comprar a Time Warner, dona do estúdio Warner Bros, da rede de TV a cabo HBO e de uma série de filmes e seriados de sucesso e programas de televisão, é a maior aposta na ideia que o futuro da mídia será ditado pelas grandes empresas, capazes de oferecer a melhor combinação de distribuição e conteúdo.

A fusão, anunciada pelas duas empresas na noite de 22 de outubro, não garante que a AT&T, uma tradicional empresa de telecomunicação, será uma das vencedoras. Mas o CEO da AT&T, Randall Stephenson, que será o chefe executivo da empresa resultante da fusão, acredita que está reunindo as peças necessárias para trilhar o caminho do sucesso.

No ano passado, a AT&T concluiu a compra, por US$48,5 bilhões, da operadora de TV por satélite DirecTV, tornando-se a maior distribuidora de TV paga dos Estados Unidos, com 25 milhões de assinantes. A AT&T também é a segunda maior operadora de telefonia móvel do país, atrás da Verizon Communications.

Agora a empresa acrescentará ao seu portfólio um dos mais célebres estúdios de Hollywood, o Warner Bros, canais a cabo prestigiosos como HBO, TNT, TBS e CNN, além de um amplo catálogo de filmes e programas de TV, da franquia dos filmes da série Harry Potter e do seriado Game of Thrones.

É a maior fusão dos últimos anos do setor de mídia e enfrentará grandes desafios, caso seja aprovada pelos acionistas. Um deles será o exame minucioso das agências reguladoras federais preocupadas com a crescente concentração de mercado no setor de mídia. As agências reguladoras demonstraram arrependimento por terem aprovado há cinco anos uma fusão semelhante: a compra da NBCUniversal pela Comcast por US$30 bilhões. Pelo menos, tentarão limitar o poder de mercado da empresa resultante da fusão.

Se a fusão for concretizada, o maior desafio da AT&T será encontrar formas de aproveitar o portfólio da Time Warner para ajudá-la a aumentar as vendas de serviços de telefonia móvel, banda larga e TV paga. Alguns analistas demonstram ceticismo. A AT&T quer ser para seus clientes mais do que um simples canal de transmissão de vídeo. No entanto, não está claro, pelo menos até o momento, que serviços e produtos adicionais a empresa poderia oferecer aos clientes, que não pudessem também ser acessados por meio de outros distribuidores.

A transformação da HBO Now em um grande serviço de streaming global abre uma perspectiva interessante de longo prazo. Mas seria um trabalho demorado e, ainda mais importante, envolveria a decisão de mexer em outros segmentos da empresa que são lucrativos com o formato atual, como o serviço de TV por assinatura tradicional.

A Time Warner já passou por uma experiência semelhante. No ano 2000, a fusão com a AOL, no valor de US$350 bilhões, foi o maior negócio na história dos EUA. A ideia era inaugurar uma nova era dominada por gigantes da internet. Essa fusão foi um desastre que custou milhares de empregos e centenas de bilhões de dólares às duas empresas. Em 2009, a AOL foi desmembrada e, no ano passado, a Verizon a comprou por US$4,4 bilhões. Agora, a Time Warner está envolvida em um negócio de grandes proporções, com um futuro interessante, porém incerto.The Economist

CRENÇA NO APOCALIPSE... Fim do Estado Islâmico pode trazer sunitas de volta à realidade

Pregadores em Bagdá dizem que um novo realismo está influenciando as ideias sunitas (Foto: Wikipedia)

O destino de uma pequena cidade na região rural no norte da Síria parece irrelevante, quando confrontado com o ataque de coalizões de diversos países ao principal reduto do Estado Islâmico (Isis), Mossul. Mas poucos lugares são mais centrais para a imagem do Isis. Os jihadistas enaltecem Dabiq como o local, citado em um hádice obscuro, ou nas palavras do profeta Maomé, da batalha do fim do mundo; na visão deles será um confronto apocalíptico entre a fé do autoproclamado califado e os cruzados ocidentais.

A revista online em inglês do grupo terrorista intitula-se “Dabiq” em homenagem à cidade. Dabiq foi o local escolhido pelos jihadistas para decapitar suas vítimas, como Peter Kassig, um funcionário americano de uma ONG de ajuda humanitária, no sopé da colina. À medida que o dia do juízo final se aproxima, observadores relataram que o Isis fortificou Dabiq com 1.200 combatentes.

Por fim, foi apenas uma bravata do Isis. Os jihadistas recuaram diante do avanço de grupos rivais apoiados pelos turcos após apenas um dia de batalha. A escatologia do Estado Islâmico, a doutrina do juízo final e do fim do mundo, sempre foi flexível. Os especialistas veem esse movimento em torno de Dabiq mais como uma forma de recrutamento do que um dogma da fé.

Tradicionalmente, a seita sunita predominante no islamismo, tem apoiado a ordem mundial e não tentado destruí-la. A doutrina do fim do mundo é uma crença dos muçulmanos xiitas, que oferece à minoria xiita reprimida e discriminada uma esperança de redenção final. Na hora predestinada, o 12º imame, que desapareceu em 941 para evitar a perseguição que os déspotas sunitas haviam infligido aos seus 11 antecessores, retornaria como o al-mahdi al-muntadhar, “o salvador esperado”, e derrotaria os opressores sunitas.

Porém, desde que os exércitos ocidentais destruíram a antiga ordem do cerne do islamismo no Iraque, com a substituição de líderes sunitas (uma minoria) por não sunitas (a maioria xiita), a confiança dos sunitas transformou-se em desesperança.

Por sua vez, quando os xiitas iraquianos acostumaram-se ao poder, sua visão apocalíptica diminuiu. “Quando sofremos rezamos para o imame”, disse um motorista de táxi em uma favela xiita de Bagdá, Sadr City.

Depois do fracasso de Dabiq, os jihadistas poderosos renunciarão às suas ideias niilistas? Acontecimentos anteriores sugerem que para alguns o fracasso só fortalecerá suas fantasias. No entanto, muitos sunitas iraquianos estão tão chocados com os vídeos do Isis como tantos outros que acompanham as ações brutais do grupo. Os pregadores em Bagdá dizem que um novo realismo está influenciando as ideias dos sunitas. Talvez seja melhor que o dia do juízo final seja adiado.The Economist

DEUS ... Quando o homem julga ser Deus

Em cinco momentos da recente história da humanidade o homem brincou de ser Deus.

Os últimos 300 anos marcaram a história da humanidade pelo desenvolvimento científico-tecnológico. Todo esse desenvolvimento trouxe inúmeros benefícios ao homem, mas trouxe também dilemas éticos.

1.Recriar a origem da matéria

Em 2014, a NASA se propôs a recriar as origens da matéria e, para isso, construiu uma câmara de vácuo absoluto com temperaturas extremas, nas quais era possível o surgimento de poeira estelar. Como resultado, foi possível criar alguns grãos de elétrons observáveis através por microscópios.


2.Dominar o clima
Geoengenharia é a ciência que estuda os meios de manipulação do clima através da tecnologia. Um de seus projetos é eliminar o dióxido de carbono e a radiação solar, manipulando tecnologicamente os processos ambientais. Os cientistas definem o projeto como “manipulação intencional do clima planetário em grande escala para combater o aquecimento global”


3.Manipulação genética de insetos
Pesquisadores da Universidade da Califórnia Irvine manipularam geneticamente o mosquito que transmite a malária para que ele rejeitasse a bactéria. Caso bem-sucedida, esta técnica poderia ser usada com outros insetos que transmitem doenças às plantas, aos animais domésticos e a seres humanos. Mas essa intervenção genética poderia trazer consequências trágicas, como a criação de uma doença mais perigosa.


4.Produção de seres alienígenas
Outro momento crítico de “brincar” de Deus foi na criação de um ser vivo com DNA diferente da vida na Terra. Os cientistas adicionaram um pedaço extra de DNA a um micro-organismo, criado a partir de uma bactéria E.coli.


5. Criar vida artificial
Em 2010, a revista Science publicou um artigo que detalha como o Dr. Craig Venter e sua equipe conseguiram criar vida sintética a partir de substâncias químicas. Para isso, os cientistas copiaram o DNA de uma pequena bactéria e o reproduziram em uma célula esvaziada artificialmente.


Super Curioso
Imagem destaque: Vadim Sadovski/Shutterstock.com
Demais imagens (de cima para baixo): Bruce Rolff/Igor Zh./Jarun Ontakrai/Wire_man/Christopher Halloran-Shutterstock.com

Novos testes comprovam a origem “divina” dos chineses


Um estudo indicou que 40% da população da China descende de apenas três "superpais" genéticos, o que comprovaria uma teoria mítica da conexão hereditária de seu povo com os antigos imperadores Yan, Huangdi e Chi You.

Muito antes dos estudos genéticos atuais, na China, a hereditariedade era marcada há milhares de anos pelo sobrenome paterno. Esse sistema utilizado pela maior parte das sociedades do mundo nasceu na China há mais de 5 mil anos. Nesse país, há uma teoria que estabelece a origem de praticamente todos os sobrenomes em apenas oito grandes clãs da Antiguidade, descendentes, por sua vez, dos imperadores Yan e Huangdi.
Cientistas da Universidade do Centro Sul da China realizaram um estudo genético em 2.415 pessoas do grupo étnico Han, que corresponde a mais de 92% da população atual do país. Desse modo, conseguiram encontrar três traços no cromossomo Y, chamados O3a1c, O3a2c1 e O3a2c1a.

Isso permitiu saber que, aproximadamente, 520 milhões de pessoas, ou seja, 40% da população chinesa deriva de três "superpais" genéticos, oriundos do Neolítico. Além disso, foi possível determinar uma conexão hereditária com os imperadores Yan, Huangdi e Chi You, embora o último tenha pouca descendência, já que seus sucessores foram exilados quando ele perdeu a guerra contra Huangdi, que teria reinado entre 2.697 a.C. e 2.597 a.C.

Os irmãos Yan e Huangdi são parte da história chinesa mais mítica. Ao primeiro, conhecido também com o nome de Shennong (“Divino Agricultor”), é atribuído o desenvolvimento da agricultura, a invenção do arado e profundos estudos botânicos. Ao segundo, conhecido como “O Imperador Amarelo”, são imputadas as origens da medicina tradicional chinesa e a aritmética, além de ser referido com um juiz imortal, deus da montanha e centro da Terra.Foto destaque: Representação de Shennong, o “Divino Agricultor”
RT Actualidad
Imagem: Li Ung Bing [Domínio Público], via Wikimedia Commons

sábado, 29 de outubro de 2016

HAPPY HOUR



PENSAMENTO DO SÁBADO



NOSSO SOM










GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO STF.. Aprova corte de salários de servidores grevistas

Decisão ocorreu por seis votos a quatro (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira, 27, que o Estado pode descontar os dias parados do salário do servidor público em greve desde o primeiro dia de paralisação.

A decisão, que ocorreu por seis votos a quatro, deve ser aplicada em todo o país no julgamento de processos semelhantes. Todos os ministros do Supremo concordaram que a greve no serviço público é permitida, mas a maioria ponderou que o poder público não deve pagar por um serviço que não foi prestado.

Há exceções, como no caso de a greve ter sido motivada por atraso no pagamento de salários ou também se ficar comprovado que o poder público não se esforçou para negociar com a categoria.

Há ainda a possibilidade, segundo o STF, de compensação dos dias parados sem o corte dos vencimentos, o que dependerá, no entanto, de um acordo entre a categoria e o empregador.

O STF determinou que “a administração pública deve proceder ao desconto dos dias de paralisação decorrentes do exercício do direito de greve pelos servidores públicos, em virtude da suspensão do vínculo funcional que dela decorre, permitida a compensação em caso de acordo. O desconto será, contudo, incabível se ficar demonstrado que a greve foi provocada por conduta ilícita do próprio poder público”. A maioria no STF foi formada pelos ministros Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki, Gilmar Mendes, Luiz Fux e Cármen Lúcia.

Já os ministros Edson Fachin, Rosa Weber, Marco Aurélio e Ricardo Lewandowski defenderam o direito de greve dos servidores públicos sem o corte dos salários. De acordo com os quatro ministros, o direito está previsto na Constituição e, com o corte dos vencimentos, os trabalhadores ficariam impedidos, na prática, de exercer esse direito.Ag. Brasil

ELEIÇÕES MUNICIPAIS... Brasileiros cansaram da política tradicional, diz ‘WSJ’

No pleito, partidos antigos perderam votos para novatos no mundo político (Foto: pstu.org)

Um artigo publicado na última terça-feira, 25, no jornal Wall Street Journal, analisa a frustração da população brasileira com a classe política dominante do país. Segundo o texto, os eleitores brasileiros estão cansados da “velha política” e provaram isso nas eleições municipais deste ano, nas quais partidos tradicionais perderam apoio e novatos no mundo político ganharam ascensão.

“O partido de Michel Temer, o PMDB, tem poucas chances de obter vantagem nas eleições de 30 de outubro. […] O PT sofreu uma derrota clara, perdendo metade dos 644 assentos que ganhou no primeiro turno das eleições de quatro anos atrás. […] Entre os grandes partidos, o maior vencedor do primeiro turno das eleições foi o conservador PSDB, que angariou votos da classe média se apresentando como antagonista na política de livre mercado”, diz o jornal.

Segundo o texto, a eleição de candidatos que não fazem parte do ramo político tradicional expõe o cansaço dos eleitores com os parlamentares de longa data. O principal exemplo é João Dória, que obteve uma vitória esmagadora no primeiro turno de São Paulo. “Na maior metrópole do país, o atual prefeito Fernando Haddad perdeu para João Dória, um rico empresário sem nenhuma experiência política”. Vale lembrar que em muitas ocasiões Dória disse que não é um político, mas sim um gestor, o que o fez conquistar mais apoio da população.

“O desencantamento com o Governo Federal, visto como corrupto e ineficaz, gerou as eleições com a menor taxa de reeleições da história do país em 2 de outubro”, diz o jornal, que também ressalta que o pleito foi campeão em ausências de eleitores e votos nulos.

“Para completar, mais de 70% do eleitorado diz não ter preferência por um partido político, um percentual recorde, segundo Mauro Paulino, diretor do Datafolha”, diz o texto. Em entrevista ao jornal, Paulino disse que “isso expressa claramente o cenário antipolítica”.

Segundo Carlos Melo, cientista político do instituto Insper, de São Paulo, a situação pode ser benéfica, pois a estrutura de coalizão da política brasileira torna difícil para novatos obterem ascensão. Porém, ele alerta que “levará tempo para que eles provem que são capazes de trazer renovação”.

Para Lara Mesquita, professora da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), o descontentamento com a política é um fenômeno global, e não algo restrito ao Brasil. Ela compara a frustração dos eleitores brasileiros ao Brexit britânico e aos protestos na Grécia e na Espanha. “Há uma crise de representatividade que é um fenômeno (global) contemporâneo”, disse ela ao “WSJ”.

Wall Street Journal

ITÁLIA... Partido antipolítico ganha força na Itália

O movimento quer se livrar dos partidos (foto: Wikimedia)

Em apenas sete anos, o Movimento Cinco Estrelas (M5S) se tornou o maior grupo de oposição da Itália. Em 4 de dezembro, um referendo no país vai decidir se aceita ou não a reforma constitucional, proposta pelo governo do primeiro-ministro Matteo Renzi. Pesquisas mostram que o “não” está levando vantagem, o que pode levar a uma crise política.

Nenhum dos dois homens que fundaram o M5S em 2009 era um político na época. Um era Beppe Grillo que deu carisma e visibilidade ao movimento. Mas foi o seu cofundador, Gianroberto Casaleggio, um executivo de TI, que lhe deu o seu carácter distintivo. Casaleggio convenceu o comediante, que havia sido banido da televisão, a iniciar um blog. Ele, então, encorajou os fãs do blog a usar a plataforma online Meetup para formar as células partidárias locais que lançaram os alicerces para os M5S.

O movimento quer se livrar dos partidos. Esta visão explica o motivo pelo qual o movimento se recusa a negociar com partidos e insiste em dizer que não é de direita nem de esquerda.

Embora a maior parte da liderança do M5S tenha vindo da esquerda, o movimento também angariou votos da esquerda pelo fim dos partidos. Por isso, o M5S é um adversário temível, especialmente nas eleições que tiverem segundo turno, estabelecido na Itália pela nova lei eleitoral. No entanto, esta vantagem pode se tornar vulnerável, já que os seus membros provenientes da esquerda e da direita estão, cada vez mais, entrando em conflito. Outro grande desafio é que seus candidatos superem a inexperiência e consigam governar bem. A nova prefeita de Roma, Virginia Elena Raggi, do M5S foi eleita este ano, mas teve um início de gestão desastrosa. Se o movimento não conseguir gerir uma cidade, os eleitores podem concluir que governar um país não será uma sábia opção.The Economist

CRISE ENTRE PODERES... Novo capítulo do embate entre Renan e Cármen Lúcia

Ambos iniciaram ações que têm como alvo afetar um ao outro (Foto: ABr)

O embate entre o presidente do Senado, Renan Calheiros, e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, segue a pleno vapor.

Ambos iniciaram ações que têm como alvo afetar um ao outro. O presidente do Senado cobrou que a Câmara dos Deputados vote uma Proposta de Emenda Constitucional que exclui a aposentadoria compulsória de juízes e promotores do Ministério Público como punição disciplina.

De autoria do senador Humberto Costa (PT), a PEC 53/2011 prevê que magistrados e promotores que forem condenados por crimes devem ser demitidos, e não mais aposentados compulsoriamente, como prevê a legislação atual. Em 2013, a PEC recebeu alterações do senador Blairo Maggi (PR), foi aprovada por unanimidade no Senado e voltou para análise na Câmara, onde tramita desde então.

Além disso, Renan também afirmou que o Senado deve votar nos próximos dias o Projeto de Lei 208, de sua autoria. O projeto define crimes de abuso de autoridade cometidos por membros dos três poderes ou agentes da administração pública. Ambas as propostas são alvos de fortes críticas dos magistrados e de membros do Ministério Público.

Cármen Lúcia, por sua vez, marcou para o próximo dia 3 de novembro a votação de um processo que impede que réus componham a linha sucessória da Presidência da República. Intitulado Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 402, o processo foi apresentado pela Rede em maio deste ano. O objetivo do partido era afastar Eduardo Cunha da presidência da Câmara.

Embora ainda não seja réu, Renan responde a 11 inquéritos no STF, alguns deles relativos à Operação Lava Jato. Se o processo ADPF 402 for aprovado e a Justiça aceitar alguma das denúncias contra Renan, automaticamente ele perderia a presidência do Senado.

No meio do fogo cruzado está o presidente Michel Temer, cujos apelos por conciliação foram ignorados. Para apaziguar a situação, Temer aceitou um pedido de reunião entre os líderes dos três poderes: Temer, Renan, o presidente da Câmara Rodrigo Maia e Cármen Lúcia. Porém, a presidente do STF recusou-se a participar do encontro, alegando agenda cheia.

Temer receia que o embate atrapalhe a votação da PEC 241 no Senado. A proposta é uma das prioridades da agenda do presidente. Renan enviou uma mensagem para Temer, afirmando que suas ações não irão interferir no andamento das votações de interesse do governo no Senado e garantiu que a Casa vai votar a PEC 241 até o dia 13 de dezembro. No entanto, o clima volátil entre o Legislativo e o Judiciário pode fazer com que o senador descumpra a promessa.El País

'DESAPOSENTAÇÃO'... STF rejeita revisão para aposentado que volta a trabalhar

A chamada 'desaposentação' foi rejeitada por sete votos a quatro (Fonte: Reprodução/STF)

O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta quarta-feira, 26, a chamada “desaposentação”, isto é, a possibilidade de o aposentado pedir revisão do benefício após voltar a trabalhar e a contribuir para a previdência pública.

A decisão, que ocorreu por sete votos a quatro, deverá ser seguida para todos os processos na Justiça referentes ao tema. Os ministros do Supremo voltam a se reunir nesta quinta-feira, 27, para definir como isso será aplicado, uma vez que muitas pessoas conseguiram em outros tribunais pensões maiores com base nas novas contribuições.

A Advocacia Geral da União (AGU) afirma que há pelo menos 182 mil processos parados aguardando uma decisão do STF.

De acordo com a maioria dos ministros do Supremo, o sistema previdenciário público brasileiro se baseia no princípio da solidariedade e não há previsão na lei para o acréscimo. Apenas o Congresso poderia estabelecer uma mudança deste tipo, e não o Judiciário, ainda segundo o STF.

A análise da chamada “desaposentação” no STF começou em 2010. O impacto da medida nos cofres públicos preocupava o governo. A AGU estima que, se o novo benefício fosse reconhecido, as despesas anuais aumentariam em cerca de R$ 7,7 bilhões.

O porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, disse que a decisão do STF pela rejeição da chamada “desaposentação” foi “favorável ao governo”.G1

OPERAÇÃO LAVA JATO... Odebrecht diz que Serra recebeu caixa dois em conta na Suíça

Foi a primeira vez que o nome do tucano foi mencionado na Lava Jato (Foto: Flickr)

Em negociações de delação premiada, dois executivos da Odebrecht apontaram aos investigadores da Operação Lava Jato dois nomes ligados ao PSDB como sendo operadores do repasse de R$ 23 milhões, por meio de caixa dois, à campanha presidencial de José Serra, nas eleições de 2010. A operação de caixa dois envolvendo Serra, atual ministro das Relações Exteriores, já havia sido citada em agosto. Foi a primeira vez que o nome do tucano foi mencionado na Lava Jato.

Segundo os executivos da empreiteira, uma parte dos recursos foi transferida para uma conta na Suíça, em acordo com o ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (ex-PSDB e atualmente do PSD), que integrou a coordenação política da campanha de Serra. A outra parte do caixa dois foi operada no Brasil pelo ex-deputado federal Márcio Fortes (PSDB-RJ), político próximo de Serra.

Os repasses foram citados por Pedro Novis, presidente da Odebrecht de 2002 a 2009 e atual membro do conselho administrativo da holding Odebrecht S.A., e Carlos Armando Paschoal, que atuava no contato com políticos de São Paulo e negociava doações para campanhas. Os dois fazem parte de um grupo de 80 funcionários da empreiteira que negociam delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o pagamento de R$ 23 milhões (R$ 34,5 milhões, corrigidos pela inflação) é equivalente a quase dez vezes o valor doado oficialmente pela empreiteira para a campanha do tucano – R$ 2,4 milhões (R$ 3,6 milhões em valores corrigidos). A Odebrecht afirmou em agosto que entregará aos investigadores documentos que comprovem os depósitos feitos nas contas suíça e brasileira.

Por meio de sua assessoria, Serra disse que “não vai se pronunciar sobre supostos vazamentos de supostas delações relativas a doações feitas ao partido em suas campanhas” e que não cometeu irregularidades. Ronald Cezar Coelho negou as acusações dos executivos da Odebrecht e Márcio Fortes não foi localizado.Folha de S. Paulo

COMPORTAMENTO




'VIOLAÇÃO DE DIREITOS'... ONU aceita analisar queixa de Lula contra Moro

Petição em nome do ex-presidente Lula foi enviada à ONU em julho

Em nota divulgada na quarta-feira, 26, a defesa de Lula afirmou que o Comitê de Direitos Humanos da ONU aceitou, preliminarmente, analisar uma petição que afirma que o ex-presidente teve seus direitos humanos violados pelo juiz federal Sérgio Moro.

Ainda de acordo com os advogados, o governo foi intimado a apresentar “informações ou observações relevantes” sobre o caso em até dois meses.

A petição, que foi enviada à ONU em julho, inclui entre as supostas violações a condução coercitiva à qual o ex-presidente foi submetido em março deste ano, a divulgação de gravações de conversas telefônicas de Lula, seus familiares e funcionários do Instituto Lula, e ainda o que consideram uma antecipação de “juízo de valor” por parte de Moro em relação a Lula.

“Avançamos mais um passo na proteção das garantias fundamentais do ex-presidente com o registro de nosso comunicado pela ONU. A data é emblemática porque justamente hoje nos encontramos em Boston, para discutir o fenômeno do ‘lawfare’ com especialistas da Universidade de Harvard. É especialmente importante saber que, a partir de agora, a ONU estará acompanhando formalmente as grosseiras violações que estão sendo praticadas diariamente contra Lula no Brasil”, afirmou em nota Cristiano Zanin Martins, um dos advogados de Lula.

Zanin Martins diz que o ex-presidente é vítima de uma espécie de “lawfare”, ou “arma de guerra”, em que é eleito um inimigo e a lei passa a ser usada ou manipulada contra aquele definido como tal.

Procurado pela reportagem do Portal Uol, o Centro de Informações da ONU no Brasil informou que ainda não há confirmação oficial sobre qualquer mudança no andamento da petição movida pela defesa do ex-presidente.Uol

SUSPEITA DE PROPINA...Gol pagou 100 vezes mais para anunciar em sites de Cunha

PF suspeita que anúncios foram usados para disfarçar repasse de propinas

Investigada pela Operação Lava Jato, a Gol Linhas Aéreas pagou um preço ao menos 100 vezes maior que o valor praticado no mercado para anunciar em dois sites ligados ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB). A Polícia Federal (PF) acredita que os anúncios podem ter sido usados para disfarçar repasse de propinas ao ex-deputado, para que ele defendesse no Congresso medidas que beneficiassem empresas da família Constantino, que controla a Gol.

De acordo com documentos fornecidos à PF pela agência de publicidade AlmapBBDO, que atende a Gol, a companhia aérea gastou R$ 200 mil (R$ 250 mil em valores atuais) por mês, entre 2012 e 2013, para veicular quatro banners (imagens publicitárias) em cada um dos sites ligados ao peemedebista – no site evangélico Fé em Jesus e no de comércio online Bom Mercatto. Ao todo, a Gol investiu R$ 2,2 milhões (R$ 2,7 milhões em valores atuais), segundo a agência.

O maior desses sites, o portal evangélico Fé em Jesus, tinha, na época, audiência média de 150 mil visitantes na página, de acordo com a ferramenta de medição de tráfego Similarweb. Com isso, a Gol mantinha um custo de R$ 416 a cada mil visualizações (chamado de “custo por milhar”, CPM).

O valor é mais de 100 vezes maior que o praticado em outros sites evangélicos. O editor de um dos maiores portais do segmento no país, que não quis ser identificado, disse ao jornal Folha de S. Paulo que cobra um CPM de R$ 3, o equivalente a 0,72% do que é pago pela Gol a Cunha.

A companhia aérea informou que está realizando uma auditoria para verificar se houve irregularidades na operação. A AlmapBBDO alegou que comprou os anúncios a pedido da Gol e que eles faziam parte de uma campanha veiculada “em mais de 50 websites”. A defesa do ex-deputado não comentou o caso.Folha

VENEZUELA... Maduro deixa no ar possibilidade de fechar Parlamento

Maduro assegurou que 'não permitirá um golpe parlamentar' (Foto: Ismael Francisco/Cuba debate)

Na última terça-feira, 25, a Assembleia Nacional de Caracas, formada majoritariamente pela oposição, aprovou o início de um processo de impeachment contra Nicolás Maduro. O presidente é acusado de romper a ordem constitucional ao boicotar a convocação de um referendo revogatório de seu mandato e de ser o responsável pela crise econômica e social do país.

Nesta quarta-feira, 26, a oposição vai realizar manifestações em todo o país. Maduro, por sua vez, anunciou uma reunião do Conselho de Defesa e Poderes Públicos e convidou o presidente da assembleia, Henry Ramos Allup, para participar do encontro. Maduro afirmou que Allup terá “uma última oportunidade de se submeter à Constituição”, deixando no ar a possibilidade de uma eventual dissolução do Parlamento.

O ministro da Defesa e homem forte da Força Armada Nacional Bolivariana, Vladimiro Padrino López, declarou sua “incondicional lealdade” ao governo e acusou a Assembleia Nacional de “atentar contra a soberania do país”. Para que Maduro acabe com o Parlamento, ele deve ocupá-lo militarmente. No entanto, há divergência entre os militares sobre a situação. Padrino López, entretanto, parece querer “disciplinar” os militares.

Maduro assegurou que “não permitirá um golpe parlamentar” e defendeu um diálogo entre governo e oposição. No entanto, o diálogo não parece ser muito possível. “Aqui só haverá diálogo se o governo aceitar que deve permitir a realização do referendo”, disse Henrique Capriles, ex-candidato presidencial e líder da oposição.

A votação para a abertura de impeachment é simbólica, já que, de acordo com a Constituição do país, um eventual impeachment do presidente deve contar com a ratificação do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), que é controlado por chavistas.O Globo/Sputinik

RELATÓRIO DO FMI.. Países da África crescem em ritmos bem diferentes

Segundo o FMI, é como se existissem duas áfricas (Foto: Youtube)

Um relatório publicado esta semana pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) mostrou que as economias dos países da África crescem em ritmos bem diferentes.

Este ano, a região como um todo vai crescer apenas 1,4%, o percentual mais baixo em duas décadas. O cenário é sombrio na Nigéria, onde está previsto uma recessão econômica. Já a da Costa do Marfim terá um galopante crescimento de 8%. Outros contrastes similares podem ser observados pelo continente.

Segundo o FMI, é como se existissem duas áfricas crescendo em ritmos diferentes. O maior divisor de águas são as fontes de receita. A queda no preço das commodities fez despencar as receitas dos grandes exportadores da região. Esse grupo crescerá, em média, 0,3% este ano. A crise fez crescer os gastos públicos e fez o consumo doméstico entrar em colapso. Um dos casos mais drásticos é o de Angola, que já foi a maior exportadora mundial de commodities. Este ano, a economia do país não crescerá e a inflação já chegou a 38%.

No outro extremo, estão países cujas economias não dependem das commodities. Este grupo crescerá, em média, 5,5% este ano. Eles foram beneficiados pelo colapso no preço do petróleo, que barateou as exportações, mas suas economias também têm outros pilares, como investimentos no setor bancário, de tecnologia e de infraestrutura. Um exemplo é Uganda. O FMI prevê que o país vai crescer 5% este ano. A lição que fica é clara: economias devem diversificar suas fontes de receita ou enfrentar as consequências.The Economist

NOVA VOTAÇÃO... Escócia cogita ideia de novo plebiscito separatista

Primeiro plebiscito foi feito em 2014, quando a população decidiu ficar no Reino Unido (Foto: Pinterest)

Em maio deste ano, a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, fez um discurso no Congresso do país, em que se comprometeu a realizar um novo plebiscito de independência do Reino Unido, caso o Brexit fosse aprovado.

O primeiro plebiscito sobre o tema foi feito em setembro de 2014. Nele, 55,3% dos eleitores votaram pela permanência do país no Reino Unido, contra 44,7% que votaram pela separação. Agora, com a consolidação do Brexit, há chances reais de um novo referendo, já que a maioria dos escoceses é contra a saída do Reino Unido da União Europeia. Para ter uma ideia, enquanto 53% dos ingleses votaram a favor do Brexit, 62% dos escoceses votaram contra.

Tal fato deixa Nicola Sturgeon em apuros. Além de muitos membros de sua legenda, o Partido Nacional Escocês (SNP, na sigla em inglês), serem a favor de um novo plebiscito, a população já começa a se movimentar. Nas ruas, já é possível ver adesivos de “Yes2” (um discurso nacionalista a favor de um novo plebiscito).

O sentimento nacionalista e contrário ao Brexit, no entanto, ignora o fato de que a Escócia pagaria um preço alto pela separação do Reino Unido. Para ganhar tempo, Nicola anunciou que o plebiscito seria feito antes de 2019, “caso fosse necessário para proteger os interesses do país”.

Agora, a primeira-ministra está enrolando os membros de seu partido. Ela está blefando. Porém, isso está gerando rupturas dentro da legenda. Membros do SNP começam a questionar o que falta para o plebiscito ser realizado. Logo, se eles realmente quiserem uma nova consulta popular, ela eventualmente terá que fazer isso.The Economist

POLÊMICA INTERNACIONAL... Espanha cancela permissão de reabastecimento de navios russos

Admiral Kuznetsov, porta-aviões russo (Foto: Twitter/@Bastion2008)

O governo da Espanha cancelou a permissão de reabastecimento de uma frota de navios russa, liderada pelo porta-aviões Almirante Kuznetsov, em Ceuta, território ultramarino espanhol localizado no Estreito de Gibraltar, que dá acesso ao Mar Mediterrâneo, de onde os russos planejam promover ataques contra a Síria.

O plano de reabastecimento em território espanhol foi recebido com críticas pelo secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, e pelos parlamentares europeus. A Espanha acusa a Rússia de praticar crimes de guerra na Síria. Logo, seria hipocrisia do país ajudar os navios russos a chegarem ao seu destino. O eurodeputado belga Guy Verhofstadt chegou a postar no Twitter “Espanha assina declaração da União Europeia sobre crimes russos de guerra em #Alepo na semana passada; hoje ajuda a reabastecer a frota a caminho de cometer mais atrocidades. Sério?”.

Apesar de Ceuta ser parte da União Europeia, o status na Otan é incerto. Desde 2011, pelo menos 60 navios russos ancoraram lá. Mas a Espanha insiste que a assistência dada aos navios russos sempre foi comercial e transparente.

Na última terça-feira, 25, o Ministério de Relações Exteriores da Espanha disse que a permissão para essas paradas seria fornecida dependendo do caso, ou seja, dependendo da natureza do navio envolvido e da possibilidade de riscos.EL Pais

ESTUDO... Dois terços dos animais selvagens podem sumir até 2020

Os animais que estão desaparecendo são de habitats diferentes (Foto: Pixabay)

O número de animais selvagens na Terra deve cair em dois terços até 2020, segundo um novo relatório feito pela Ong WWF em parceria com a Zoological Society.

A análise indica que as populações de animais selvagens caíram 58% entre 1970 e 2012, sendo que tais quedas podem chegar a 67% até 2020. A caça, o desmatamento e a poluição estão entre as principais causas.

Os animais que estão desaparecendo são de habitats diferentes, desde espécies ameaçadas de extinção como elefantes e gorilas até animais menos conhecidos como abutres e salamandras.

O colapso da vida selvagem é, juntamente com as mudanças climáticas, o maior sinal do Antropoceno, uma nova era geológica em que os humanos vão ser maioria no planeta.

O relatório analisou mais de 14 mil populações de 3,7 mil espécies de vertebrados. Além disso, a pesquisa alerta que a perda de vida selvagem deve impactar as pessoas e até mesmo provocar conflitos, como, por exemplo, por recursos naturais.

No entanto, como algumas espécies estão começando a reaparecer, isso sugere que uma mudança de ação pode ajudar a resolver a crise. O número de tigres, por exemplo, está subindo e os pandas gigantes foram recentemente retirados da lista de animais ameaçados de extinção.The Guardian

DESTRUIÇÃO... Região central da Itália sofre com tremores secundários

Alguns edifícios que permaneciam em pé apesar do terremoto de agosto agora não resistiram (Fonte: Reprodução/AP)

A região central da Itália foi atingida por mais de 340 tremores secundários desde a noite da última quarta-feira, 26, quando dois fortes terremotos — de magnitude 5,5 e 6,1 — atingiram a cidade de Visso.

Os tremores já causaram prejuízos de milhões de euros. Os dois terremotos principais não deixaram vítimas, pois a maioria das pessoas saiu de casa ao sentir o primeiro abalo.

Em agosto, um forte terremoto de magnitude 6 causou a morte de 297 pessoas e deixou um rastro de destruição na região central do país, principalmente em Amatrice, Accumoli e Arquata del Tronto.

Com os novos abalos, vários prédios históricos sofreram mais danos. Alguns edifícios que permaneciam em pé apesar do terremoto de agosto agora não resistiram.

De acordo com a Defesa Civil, 80% das casas na região estão condenadas. O premier italiano, Matteo Renzi, liberou fundos de emergência de € 40 milhões.Jornal Nacional

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Mensagem do Dia

ECONOMIA INFORMAL... O alto custo dos encargos trabalhistas na América Latina


Mais da metade dos trabalhadores na América Latina têm contratos de trabalho sem registros oficiais na economia informal. Esse número pouco diminuiu desde 2003. Os trabalhadores informais estão excluídos dos benefícios garantidos pelas leis trabalhistas como planos de pensão, seguro-desemprego e alguns serviços de saúde pública.

Um relatório da OCDE, uma organização que reúne 34 países desenvolvidos, mostrou uma das razões da informalidade dos trabalhadores: o alto custo dos encargos trabalhistas (ver gráfico). Uma grande parcela dos empregados, de pelo menos 20% na Bolívia e 80% em Honduras, ganham salários abaixo do piso mínimo legal do país. As contribuições para a previdência social, caso fossem pagas pelos empregados com baixos salários, consumiriam quase todos os seus rendimentos.

Para a parcela dos 10% da população mais pobre, as contribuições a serem pagas pelos empregadores e empregados representariam, em média, três quartos de seus salários, se esses trabalhadores pagassem a quantia cobrada dos empregados formais que ganham salário mínimo. Em cinco dos 18 países pesquisados nesse relatório, a proporção seria de mais de 100%.

Na América Latina a carga dos impostos não é elevada segundo os padrões dos países desenvolvidos. Para os trabalhadores que ganham salários médios no setor formal, a carga tributária é inferior a 22%. O imposto de renda atinge apenas os salários mais altos. No entanto, para os trabalhadores mal remunerados, sobretudo os que ganham menos de um salário mínimo, o custo de ser um empregado formal é proibitivo.

Mesmo os trabalhadores que podem pagar as contribuições para a previdência social relutam em contribuir. Alguns duvidam que as pensões do Estado estarão solventes no momento em que se aposentarem. Outros são dissuadidos pela péssima qualidade dos serviços de saúde pública.

Na opinião da OCDE o Estado deveria subsidiar os pagamentos da previdência social de pessoas que ganham um salário mínimo ou menos. Essa prática incentivaria alguns trabalhadores a ingressar na economia formal. Mas é pouco provável que a formalidade se torne uma norma se os benefícios concedidos continuarem a ser tão insignificantes.The Economist

COMPORTAMENTO









Brasil perde o capitão do tricampeonato de 70, Carlos Alberto Torres


O futebol brasileiro perdeu nesta terça-feira, dia 25 de outubro, o seu grande capitão do tricampeonato mundial de 1970, Carlos Alberto Torres. Ele foi vítima de um infarte fulminante, aos 72 anos, no Rio de Janeiro. O ex-jogador atualmente trabalhava como comentarista esportivo.

Nascido em 17 de julho de 1944 no Rio de Janeiro, ele começou a carreira de jogador como lateral-direito pelo Fluminense. Também teve passagens por Santos, Botafogo, Flamengo e New York Cosmos.

Conquistou muitos títulos pelos gramados. No Flu, ganhou o Carioca em 1964 e depois, em sua segunda passagem, em 1975 e 1976. No Santos de Pelé, onde jogou ao lado de Edu e Clodoaldo, ergueu a Taça Brasil em 1965 e 1968, o Torneio Rio-São Paulo em 1966, a Recopa Sul-Americana, em 1968, e muitos campeonatos paulistas - 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973. Nos Cosmos, foi campeão por quatro temporadas - 1977, 1978, 1980 e 1982.

Como treinador, conquistou o Campeonato Brasileiro de 1983, pelo Flamengo, Copa Conmebol, em 1993, pelo Botafogo, e o Campeonato Carioca pelo Fluminense, em 1984.

Na grande final da Copa do Mundo de 1970, no México, na partida conta a Itália, Carlos Alberto marcou o último gol da vitória por 4 a 1 - os outros tentos foram de Pelé, Gerson e Jairzinho. A Itália descontou com Boninsegna.Wikimedia Commons/Imagem: Jair, Carlos Alberto e Dario AgBr José Cruz/ABrderivative work

ESCASSEZ DE PRODUTOS... ONG expõe gravidade da crise humanitária na Venezuela

Filas já passaram a fazer parte do cotidiano da população na Venezuela (Fonte: Reprodução/libertar.in)

Em relatório divulgado na segunda-feira, 24, a ONG Human Rights Watch expôs a gravidade da crise humanitária na Venezuela e afirmou que a escassez de produtos básicos no país é equivalente à de uma nação em guerra.

Leia também: Parlamento da Venezuela acusa Maduro de golpe
Leia também: Venezuela adia coleta de assinaturas para convocar referendo

As filas já passaram a fazer parte do cotidiano da população na Venezuela. Para comprar farinha de trigo, leite e arroz pode ser necessário esperar mais de 12 horas. O setor de saúde também está enfrentando sérias dificuldades: faltam antibióticos, analgésicos, seringas ou bisturis.

Ainda de acordo com a ONG, a ajuda humanitária proveniente de organismos internacionais poderia aliviar a crise no país em pouco tempo, com envio de remédios e alimentos. A questão é que o governo venezuelano não solicita ajuda.

José Miguel Vivanco, diretor da Human Rights Watch, ressalta que a incapacidade de Caracas em enfrentar a crise só mudará quando países latino americanos fizerem pressão sobre o governo venezuelano.

O Parlamento da Venezuela, que é controlado pela oposição, acusou, no último domingo, 23, o governo do presidente Nicolás Maduro de golpe de Estado após a suspensão do processo de referendo que poderia tirá-lo do poder.Jornal Nacional

PROTESTO ESTUDANTIL... Estudantes ocupam quase mil escolas do país

Estudantes batizaram o movimento de Primavera Secundarista (Wilson Dias/Agência Brasil)

Estudantes de diferentes estados estão ocupando escolas em protesto contra a reforma do ensino médio e contra a PEC 241, que será votada nesta terça-feira, 25, na Câmara. O Projeto de Emenda à Constituição visa limitar o teto dos gastos públicos, o que pode afetar o setor da educação nos próximos anos. Segundo os estudantes, 850 escolas e 14 universidades estão ocupadas no Paraná. A secretaria de Educação, entretanto, confirma apenas 792 escolas. Em Minas Gerais, o governo confirma 38 escolas. E no Espírito Santo são, oficialmente, cinco. Os estudantes batizaram o movimento de Primavera Secundarista.

A reforma do ensino médio foi anunciada pelo presidente Michel Temer no final de setembro. Apesar de ainda precisar passar pela aprovação da Câmara, as medidas já podem começar a valer a partir do ano que vem. A ideia é que o ensino integral seja expandido e que ocorra a flexibilização do currículo.

As ocupações acontecem em meio às eleições municipais no Brasil. O problema é que as escolas, geralmente, servem como locais de votação. Logo, milhares de eleitores vão ter de votar em outro endereço nas eleições do próximo domingo, 30. Apenas no Paraná, a manifestação vai alterar a rotina de 700 mil eleitores.

Em São Paulo, os estudantes ensaiam aderir às ocupações desde o início de outubro. Na última segunda-feira, 24, a Escola Estadual professor Silvio Xavier Antunes, na zona norte de São Paulo, foi ocupada.

Um grande problema a ser enfrentado pelo governo é que se o protesto continuar, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que ocorre nos dias 5 e 6 de novembro, terá de ser cancelado nas escolas ocupadas. O ministro da Educação, Mendonça Filho, já pediu, na semana passada, que os estudantes saiam das escolas até a próxima segunda-feira, dia 31. “Faço um apelo aos estudantes do Brasil. Deixem os jovens se submeterem ao Enem”, disse o ministro. Segundo ele, seria necessário mais de R$ 8 milhões para a realização de um novo exame. Os estudantes, no entanto, pretendem seguir com o protesto.El País

VENDA DE AVIÕES ... Investigação indica esquema de propina na Embraer

A companhia teria pago propina em negociações para a venda de aviões no exterior (Foto: Wikipedia)

Uma investigação feita pela Justiça dos Estados Unidos e pela Justiça do Brasil aponta que pelo menos dez executivos do alto escalão da Embraer estão envolvidos diretamente em um caso de corrupção que envolvia pagamento de propina para vender aviões no exterior. De acordo com um levantamento do jornal Folha de S. Paulo, dois executivos envolvidos ainda trabalham na empresa. São suspeitos de participar no caso vice-presidentes e diretores das áreas de aviação comercial, defesa e segurança, jatos executivos, além do departamento jurídico.

Entre os executivos investigados estão Luis Carlos Affonso, que hoje atua como vice-presidente sênior de operações da aviação comercial, e José Molina, atual diretor comercial de defesa e segurança. Segundo as autoridades americanas e brasileiras, ambos teriam participado das negociações e autorizado pagamentos de propina.

De acordo com as investigações, os pagamentos foram feitos em negociações na República Dominicana, Moçambique, Índia e Arábia Saudita. Em abril deste ano, o gerente da área de defesa da companhia Albert Phillip Close assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro e revelou detalhes sobre as negociações.

Em 2008, a empresa pagou US$ 3,5 milhões em propina para o coronel reformado da Força Aérea dominicana Carlos Piccini Nunez para a venda de oito aviões militares Super Tucanos, em um contrato de US$ 92 milhões, informou Close.

A prática também se repetiu em Moçambique, também em 2008. A companhia pagou US$ 800 mil para um funcionário da estatal Linhas Aéreas Moçambique para facilitar a venda de dois aviões por US$ 65 milhões. A propina teria sido aprovada por José Molina.

Na Índia, a empresa atuou contratando um agente que mantinha um escritório em Londres e distribuiu US$ 5,7 milhões a autoridades indianas entre 2005 e 2009 para que houvesse a venda de três aviões para a Força Aérea do país por US$ 208 milhões.

Já na Arábia Saudita, o pagamento de propina foi feito para a petroleira estatal Saudi Aramco, que recebeu US$ 1,6 milhão em propina negociada por Luis Carlos Affonso, na época vice-presidente executivo da área de jatos particulares, para que firmasse um negócio de US$ 93 milhões envolvendo três aviões brasileiros.

Até agora, o Ministério Público brasileiro está investigando apenas executivos envolvidos no caso de propina na República Dominicana. As investigações relativas aos outros países ainda estão em curso pela Justiça brasileira.

Multa para encerrar o caso

Na última segunda feira, 24, a Embraer reconheceu os pagamentos de propina e fez um acordo para que o caso de corrupção fosse encerrado nas justiças dos EUA e do Brasil. Com isso, a empresa concordou em pagar uma multa de US$ 206 milhões.

O acordo foi firmado com o Departamento de Justiça dos EUA, a SEC (órgão que regula o mercado de capitais americano), o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Apesar de não ter divulgado os valores a serem recebidos por cada órgão, o CVM informou que somente no Brasil a Embraer pagou R$ 64 milhões para encerrar as investigações.

Além da punição financeira, a empresa terá que adotar normas de “compliance” (medidas anticorrupção) e será fiscalizada por um monitor brasileiro e outro americano.Folha de S. Paulo

ECONOMIA... Petrobras começa a dar sinais de melhora

Próximo objetivo da Petrobras é recuperar o selo de boa pagadora (Foto: ABr)

A Petrobras começa a dar sinais de recuperação após anos de agruras financeiras geradas pelos escândalos de corrupção e pelo colapso no preço do petróleo.

As ações da empresa acumuladas no ano apresentam uma alta de 168%. Além disso, a Petrobras subiu do 11º para o 8º lugar no ranking das petroleiras com maior valor de mercado. A posição ainda é bem abaixo do 3º que ocupava em 2008, mas pode subir ainda mais conforme a empresa recupera a confiança do investido.

Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, falou sobre os desafios e os próximos passos no plano de recuperação da empresa. Entre os principais objetivos está recuperar o selo de boa pagadora perdido em fevereiro de 2015. A ideia é alcançar essa meta até 2018. Para isso, ele afirma que é necessário correr com os ajustes.

“Executar um plano que inclui redução de custos e de investimento, sem reduzir metas e com ganho de produtividade, além de um programa de desinvestimento relevante, requer muita disciplina”, disse Parente.

Na sexta-feira passada, a agência de classificação de risco Moody’s elevou a nota da Petrobras, mas a empresa ainda está cinco patamares abaixo do selo de boa pagadora.

A Petrobras colhe os frutos da melhora do mercado internacional após países membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) concordarem em cortar a produção de petróleo em uma reunião ocorrida no final do mês passado. A decisão fez o preço do barril subir para US$ 49, o maior valor registrado nas últimas 12 reuniões do grupo.

A alta do real frente ao dólar também teve um papel crucial, já que a grande parte da dívida da empresa é em moeda americana. Outros fatores que contribuíram foi o chamado “plano de desinvestimento” promovido pela gestão da empresa. Ele cortou projetos de investimento e vendeu ativos, como fatias do pré-sal.

A decisão do governo de Michel Temer de liberar a empresas estrangeiras a operação do pré-sal e a promessa de reduzir a interferência do governo na empresa também tiveram efeitos positivos na recuperação.Estadão

PACOTE DE US$ 400 MILHÕES ONU.... Planeja ressarcir Haiti pelo surto de ebola

Surto retomou força após a passagem do furacão Matthew (Foto: un.org)

Em 2010, o vírus ebola foi introduzido no Haiti por um soldado de manutenção de paz da ONU contaminado. As precárias condições sanitárias do país pavimentaram o terreno para o alastramento do vírus, gerando um surto crítico que deixou até agosto deste ano 770 mil infectados e 9.200 mortos.

O surto gerou uma onda de críticas à atuação da ONU no país e pedidos pela condenação judicial da entidade. Desde o início, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, rejeitou as críticas, sustentando que a ONU é imune a ações judiciais. Porém, às vésperas de deixar o cargo, ele finalmente cedeu.

Em agosto, a ONU admitiu a culpa pela epidemia e responsabilizou a empresa responsável pelo tratamento dos rejeitos na base onde o soldado contaminado servia. Agora, a dois meses de deixar o cargo, Ban Ki-moon anunciou que a ONU pretende compensar o dano com um pacote de US$ 400 milhões destinados às comunidades afetadas. Ele também pretende seguir com os esforços para cessar a epidemia.

O pacote vai destinar US$ 200 milhões para o fornecimento de materiais de assistência médica. Os outros US$ 200 milhões serão usados nos esforços para acabar com o surto e aprimorar o sistema sanitário do país.

Porém, a ONU não tem a receita necessária para o pacote anunciado e continua enfrentando críticas por fugir da responsabilidade judicial por uma das maiores calamidades que o Haiti já enfrentou. Há críticas também ao fato de que a ONU não chegou a pedir desculpas oficiais pela epidemia, que retomou força após a passagem do furacão Matthew.

Diplomatas dos EUA na ONU, os maiores financiadores da entidade, não se manifestaram sobre o pacote, nem sinalizaram se pretendem contribuir. Também não está claro se Ban Ki-moon pretende ir além do “profundo pesar” expressado e pedir desculpas oficiais, o que leva a outra pergunta: se ele fizer isso, estaria abrindo caminho para futuras ações judiciais contra a ONU?

O plano será analisado nesta terça-feira, 25, quando Philip Alston, professor da Universidade de Nova York e um dos vários conselheiros de direitos humanos da ONU, apresentará o pacote para um comitê da Assembleia Geral da ONU.The New York Times

CETA.... Bélgica bloqueia acordo comercial entre UE e Canadá

Muitos europeus temem que o CETA possa reduzir a força das normas ambientais e dos direitos trabalhistas (Foto: Flickr)

“Ei Canadá, vai se f*.” Em poucas horas este tweet (o resultado da violação de um hacker) da conta do Twitter do ministro das Relações Exteriores da Bélgica foi substituído por uma mensagem mais amigável: “mantenham a calma e gostem do Canadá.” Entretanto, a posição hostil de seu país aproxima-se mais do texto original. Em 14 de outubro, o parlamento regional da Valônia votou contra a assinatura do Acordo Econômico e Comercial Global (CETA) entre a União Europeia (UE) e o Canadá.

Os acordos comerciais do século XX reduziram as tarifas. Novos acordos entre países desenvolvidos, como o CETA, preveem a eliminação de outras barreiras ao comércio. Depois de sete anos de discussões, os negociadores europeus chegaram a um consenso quanto à venda direta de brinquedos e equipamentos eletrônicos para os canadenses, sem a necessidade de fazer uma segunda verificação dos requisitos de saúde e segurança.

A coordenação de normas e padrões com outro país significa, inevitavelmente, a perda de um pouco de soberania. Esse fato irrita muitos europeus, receosos que o CETA possa reduzir a força das normas ambientais e dos direitos trabalhistas. Eles suspeitam que os novos tribunais criados pelo acordo para solucionar disputas entre investidores e governos irão favorecer as empresas, em detrimento dos reguladores.

Mas os planos desses tribunais já foram reformulados, disse a parlamentar Marietje Schaake do Partido Liberal da Holanda. As últimas propostas deram mais independência e transparência às suas ações. Em 18 de outubro, a comissária Europeia do Comércio, Cecilia Malmström, propôs acrescentar uma declaração com uma “linguagem clara” para esclarecer os detalhes do acordo.

O CETA tem outros opositores mais tradicionais, que detestam o fato de o acordo eliminar 99% dos direitos aduaneiros entre o Canadá e a UE. Valônia vangloria-se de ter uma vaca para cada três pessoas e os agricultores que ganham generosos subsídios têm receio da competição canadense mais barata. Erwin Schöpges, um fazendeiro e criador de gado leiteiro da Valônia que participou dos protestos em frente ao parlamento, disse que já enfrenta preços do leite abaixo do seu custo de produção. “Queremos ter relações comerciais com o Canadá, mas sem suprimir tarifas”, acrescentou. The Economist

África...É descoberto um organismo extraterrestre que se alimenta de radiação cósmica


Biólogos norte-americanos resolveram um mistério em torno da bactéria Desulforudis audaxviator: ela veio do espaço e sobreviveu se alimentando de radiação.

Esta, ao menos, é a afirmação do astrobiólogo Dimitra Atri, que trabalhou ao lado de cientistas do Blue Marble Space Institute of Science. A enigmática bactéria foi descoberta em 2002 em uma mina da África do Sul, a quase 3 quilômetros de profundidade.
De acordo com a pesquisa, o micróbio se alimenta de radiação ionizante, ou seja, um tipo de energia que os átomos liberam e cuja fonte são os elementos radioativos encontrados no subsolo. Isso explicaria como o micróbio conseguiu sobreviver a tamanha profundidade.

No espaço exterior, essa forma de radiação é gerada pelo fenômeno das supernovas, ou seja, enormes explosões estelares. A magnetosfera e a atmosfera planetária funcionam como um escudo, mas, em outros corpos com menor atividade magnética e densidade atmosférica, essa radiação pode ser crucial na evolução da vida.

A descoberta, no entanto, reforça a hipótese de que a vida na Terra veio do espaço exterior. Na opinião de Dimitra Altri, Marte seria a fonte mais provável. RT Actualidad
Imagem: Domínio Público, via Wikimedia Commons

Relatórios revelam relação de Winston Churchill com avistamentos de óvnis


ma série de relatórios tornados públicos recentemente revelam o papel que o famoso primeiro-ministro inglês Winston Churchill teve no encobrimento de avistamentos de óvnis.

Durante seus dois mandatos, entre 1940 e 1955, Churchill montou uma equipe para descobrir a origem de vários casos de encontros com objetos voadores não identificados, denominada Flying Saucer Working Party.

Os pesquisadores analisaram centenas de casos e concluíram que, embora não fosse possível descartar a presença de visitantes extraterrestres na Terra, muitos dos casos estudados pareciam corresponder a fenômenos naturais, veículos aéreos feitos por seres humanos ou, simplesmente, “delírios psicológicos”.

Um dos casos mais relevantes analisados pelo grupo foi o avistamento de um disco voador metálico no condado de Cumbria, no noroeste da Inglaterra, em 1952. Lá, um piloto da RAF (sigla em ingês para Força Aérea Real) teria se deparado, ao voltar de uma missão pela Europa continental, com um estranho artefato voador prateado, que desapareceu silenciosamente perto da aeronave.

Ao saber do incidente, o primeiro-ministro ordenou que o fato fosse colocado em sigilo, considerando que, se virasse público, a população poderia entrar em pânico e perderia a fé em Deus. Código Oculto
Imagem: Ursatii/Shutterstock.com

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Mensagem do Dia

NEGÓCIOS... A nova dimensão do marketing online

Esta é a última novidade de uma tendência em rápido crescimento (Foto: Pixabay)

Logo depois de ganhar um novo relógio sofisticado da TAG Heuer, o jogador de futebol Cristiano Ronaldo postou uma foto sua com o relógio no pulso no Instagram. Ele agradeceu o “gentil presente” e terminou a mensagem com o slogan publicitário da empresa #dontcrackunderpressure.

Esta é a última novidade de uma tendência em rápido crescimento. Desde janeiro, mais de 200 mil mensagens por mês no Instagram, um aplicativo de fotos e vídeos do Facebook, incluíam as hashtags “#ad”, “#sp” ou “#sponsored”, segundo a Captiv8, uma plataforma de análise que conecta as marcas aos “influenciadores” das redes sociais. A contratação desses influenciadores amplia o universo de potenciais clientes das empresas. Cristiano Ronaldo tem 240 milhões de seguidores no Facebook, Instagram e no Twitter.

As redes sociais oferecem às empresas a oportunidade de atingir a geração do milênio, que usa os meios de comunicação e de entretenimento online. Snapchat, outro aplicativo de fotos e vídeos, é usado por 40% dos americanos entre 18 a 34 anos todos os dias. Além disso, essas plataformas proporcionam a sensação que os consumidores tiveram um acesso sem precedentes ao mundo dos ricos e famosos. Os patrocinadores interagem com seu público-alvo de uma forma muito mais dinâmica e de impacto do que a publicidade tradicional. Por sua vez, a demanda de marketing desses canais transformou as redes sociais em um território lucrativo para pessoas que têm um grande número de seguidores online.

De acordo com a Captiv8, alguém com 3 a 7 milhões de seguidores pode cobrar, em média, US$187,500 por um post no YouTube, US$93,750 por um post no Facebook e US$75,000 no Instagram ou no Snapchat. Nada mal para quem tem influência nas redes sociais. The Economist

SAÚDE... Cabeçadas no futebol afetam diretamente o cérebro, diz estudo

Jogadores estão expostos ao mesmo dano cerebral que afeta pugilistas (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Um estudo elaborado pela Universidade de Stirling, na Escócia, identificou que as cabeçadas executadas em partidas de futebol provocam “mudanças significativas” nas funções do cérebro. De acordo com a pesquisa, a exposição direta aos impactos na cabeça e o uso repetido das cabeçadas provocam diversos danos cerebrais, como concussão.

Para descobrir os efeitos da cabeçada, os pesquisadores escoceses reuniram um grupo de 19 jogadores de futebol e os fizeram cabecear uma bola por 20 vezes seguidas – a bola era lançada por uma máquina que simulava uma cobrança de escanteio. Depois, os cientistas testaram as funções cerebrais e a memória dos jogadores imediatamente após o exercício. Também foram realizados testes após 24 horas, 48 horas e duas semanas.

Os testes de memória indicaram que o desempenho cognitivo reduziu entre 41% e 67% logo após o exercício de cabeçadas, com os efeitos normalizando em 24 horas. Os cientistas, no entanto, ainda estão investigando se as mudanças nas funções cerebrais permanecem temporárias após uma exposição repetida ao esporte e quais são os efeitos em longo prazo dos cabeçadas para a saúde cerebral.

De acordo com a neurocientista cognitiva Magdalena Iestwaart, ainda que os efeitos das cabeçadas tenham se mostrado temporários, eles são bastante significativos para a saúde cerebral, principalmente quando se repetem muitas vezes como em uma partida de futebol. “Com um grande número de pessoas ao redor do mundo praticando o esporte, é importante que eles sejam alertados sobre o que acontece em seus cérebros e o efeito permanente que isso pode ter”.

As pesquisas acerca do tema têm sido impulsionadas por Dawn Astle, filha do ex-jogador da seleção inglesa Jeff Astle. Morto em 2002, aos 59 anos, Astle sofria de demência precoce causada pelas cabeçadas que executava nas antigas bolas de couro usadas em partidas de futebol. Chegaram a apontar a causa de sua morte como “doença industrial”, mas um reexame em seu cérebro descobriu que ele sofria de Encefalopatia Crônica Traumática, conhecida também como demência pugilística. A doença é comum em jogadores de futebol americano, de rúgbi, e ficou conhecida por afetar boxeadores famosos, como americano Muhammad Ali e os brasileiros Éder Jofre e José Adilson Rodrigues, conhecido como Maguila.The Guardian

ACAMPAMENTO DE REFUGIADOS... ‘Selva de Calais’ começa a ser desmontada na França

Acampamento começou a ser desmontado na manhã desta segunda (Fonte: Reprodução/AP)

O grande acampamento improvisado de refugiados e imigrantes na França que ficou conhecido como “Selva de Calais” começou a ser desmontado na manhã desta segunda-feira, 24.

O campo será totalmente fechado e os milhares de refugiados e imigrantes que vivem na “Selva” serão levados para os 450 centros de acolhida espalhados por toda a França.

Estima-se que entre 6 mil e 8 mil pessoas aguardavam na região por uma chance de cruzar o Canal da Mancha e se estabelecer no Reino Unido.

Logo cedo, policiais armados se espalharam por todo o acampamento. Em protesto contra a desocupação da “Selva”, pequenos grupos queimaram banheiros químicos e lançaram pedras contra as forças de segurança durante a madrugada.

A maioria das pessoas que vivem no acampamento é procedente do Afeganistão, Sudão e Eritreia. Algumas pessoas vivem há anos no local. Quem não aceitar ir para um centro de acolhida indicado pelo governo francês tem a opção de retornar para o seu país de origem.

O governo da França acredita que a desocupação total da “Selva de Calais’ levará uma semana para ser concluída. O plano de distribuição dos refugiados e imigrantes não é aceito por todos na França. Membros da oposição de direita dizem que há um risco de se formarem várias “mini-Calais” em todo o país.G1