sexta-feira, 31 de março de 2017

HAPPY HOUR



PENSAMENTO DA SEXTA



NOSSO SOM







SIMÃO JATENE - Têm seu mandato cassado...

Mandato de Simão Jatene é cassado pelo TRE

Não se sabe até quando...

O governador Simão Jatene (PSDB) teve o seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

O julgamento, que teve início na manhã desta quinta-feira (30), terminou com o resultado de quatro votos favoráveis à cassação e dois contra a perda do mandato de Jatene.

Zequinha Marinho, vice-governador do estado, também teve seu mandato cassado.

Os magistrados Luciana Pereira (juíza federal que apresentou as provas da cassação), Altemar Paes (juiz), José Alexandre Buchacra (juiz) e Luzimara Costa (juíza indicada da OAB), votaram a favor da cassação do diploma de governador de Simão Jatene, enquanto Amilcar Roberto Bezerra Guimarães (juiz) e Célia Regina de Lima Pinheiro (presidente do TRE e relatora do processo) votaram contra.

O governador foi condenado por abuso de poder político e econômico.

O TRE entendeu que Jatene cometeu abuso na distribuição do benefício Cheque Moradia com a finalidade de obter votos para sua candidatura à reeleição, durante os meses que antecediam as Eleições de 2014.

A denúncia foi investigada pelo Ministério Público Eleitoral do Pará (MPE-PA), que confirmou que o número de cheques entregues neste período mais que triplicou, o que configura uma espécie de compra de votos indiretamente.

JATENE AINDA PODE RECORRER

A medida tem caráter suspensivo, Jatene pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda no cargo de governador.

Como a decisão foi tomada com mais de 50% do mandato cumprido por Simão Jatene, não haverá outra eleição, caso a cassação seja mantida.

E como o vice-governador Zequinha Marinho também teve seu mandato cassado, quem assumirá o cargo até 2018 - no caso de confirmação da cassação - é o presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado Márcio Miranda.



SERVIDORES DA COHAB TAMBÉM SÃO CASSADOS

João Hugo Barral de Miranda, presidente da Cohab, Maria Cláudia Zaidan Gonçalves, diretora da Cohab, e Maria Sônia da Costa Massoud, coordenadora do Cheque Moradia junto às comunidades, também tiveram seus diplomas cassados pelo tribunal.

O TRE entendeu e confirmou a participação do trio no esquema de compra de votos através do benefício.DOL

ORÇAMENTO - Governo anuncia corte de R$ 42 bilhões em despesas

Medidas foram anunciadas por Henrique Meirelles (direita) e Dyogo Oliveira (Fonte: Reprodução/Portal Brasil)

O governo do presidente Michel Temer anunciou nesta quarta-feira, 29, um bloqueio de R$ 42,1 bilhões em gastos públicos e ainda outras medidas para tentar atingir a meta fiscal fixada para este ano, de déficit de R$ 139 bilhões.

Além do corte de gastos, o governo anunciou também o aumento de imposto sobre folha de pagamento de empresas com o objetivo de tampar um rombo de R$ 58,2 bilhões no orçamento a fim de atingir a meta fiscal. Um total de 50 setores não poderão mais pagar imposto sobre a folha de pagamentos com base em um percentual da receita bruta, o que representava uma tributação menor.

O ministro da Fazenda anunciou que 50 setores serão excluídos da possibilidade de pagar imposto sobre a folha de pagamentos com base em um percentual da receita bruta – que representava uma tributação menor.

As medidas foram anunciadas pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

Como o governo decidiu não contar agora com precatórios não resgatados, o corte das despesas será maior do que o previsto. Meirelles afirmou que há R$ 8,6 bilhões em precatórios depositados que não foram resgatados pelos beneficiários, e que o governo vai aguardar por mais garantia jurídica de que os beneficiários realmente perderam o direito ao dinheiro. O bloqueio de gastos públicos poderá, portanto, ficar menor mais pra frente.

A queda na previsão de crescimento da economia brasileira de 1,6% para 0,5% é a principal responsável pelo rombo no orçamento federal.

O bloqueio total de R$ 42,1 bilhões será dividido em corte de gastos dos Ministérios (R$ 20,1 bilhões); programa de Aceleração do Crescimento (R$ 10,5 bilhões); emendas parlamentares obrigatórias (R$ 5,4 bilhões) e emendas não obrigatórias (R$ 6,1 bilhões).G1

TRANSPARÊNCIA - Acesso a dados de saúde evolui no Brasil

No ranking, o Brasil ficou acima de países como França, Alemanha, Itália e Suíça (Foto: Pixabay)

O Brasil está em 12° no ranking de transparência no sistema de saúde. A pesquisa, realizada pela consultoria KPMG, leva em consideração 32 países. Apesar de o Brasil ter evoluído neste quesito nos últimos anos, isto não significou melhora na eficiência ou na qualidade do setor. O relatório não inclui dados da rede privada brasileira.

A aprovação de leis como a que regulamenta o direito de acesso às informações públicas, em 2011, e a que pune empresas por atos de corrupção contra a administração pública, em 2013, é considerada um marco na transparência da saúde brasileira.

No ranking, o Brasil ficou acima de países como França, Alemanha, Itália e Suíça. “O Brasil é um dos poucos países a ter um serviço de ouvidoria. Qualquer cidadão pode ter acesso a dados, como taxas de HIV por região, índices de infecção hospitalar e de mortalidade. Outros países não têm a obrigação de tornar os dados públicos”, diz Daniel Greca, gerente de saúde da KPMG e coordenador do estudo no Brasil.

Apesar de o Brasil estar evoluindo em relação à transparência dos dados, o mesmo não pode ser dito em relação à qualidade do setor. “A transparência é um dos pilares do sistema de saúde, mas não garante eficiência e que não haja corrupção. Embora colha, armazene e publique dados, a gente não acredita que o Brasil esteja gerando inteligência com eles”, afirma Greca.Folha de S.Paulo

COMPORTAMENTO




CHAPA DILMA-TEMER

PSDB isenta Temer em alegações finais ao TSE

PSDB isentou Temer de 'qualquer prática ilícita' (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

As alegações finais entregues pelo PSDB na ação de cassação da chapa Dilma-Temer de 2014 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) isentam o atual presidente de “qualquer prática ilícita” e defendem a separação da chapa.

“Ao cabo da instrução destes processos não se constatou em nenhum momento o envolvimento do segundo representado (Michel Temer) em qualquer prática ilícita. Já em relação à primeira representada (Dilma Rousseff), há comprovação cabal de sua responsabilidade pelos abusos ocorridos. Assim, entendendo suficiente a instrução processual, confiam os autores na procedência das respectivas ações, por se cuidar de medida da mais lídima e real”, diz a conclusão das alegações finais do PSDB. O documento, entregue ao TSE, contém 22 páginas.

A ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer por abuso de poder econômico e político foi apresentada pelo PSDB logo após as eleições de 2014 e pode levar o atual presidente Michel Temer à perda de mandato. Quando a ação foi apresentada, o candidato tucano derrotado, Aécio Neves, chegou a afirmar que havia sido vítima da campanha mais suja da história política brasileira. Atualmente, o PSDB integra a base aliada do governo.

De acordo com os advogados do PSDB, a prova produzida no curso da instrução permite concluir que o dinheiro desviado do erário, principalmente da Petrobras, foi utilizado na campanha de Dilma Rousseff. “A obtenção de recursos nessas circunstâncias caracteriza o abuso do poder político, porquanto as aludidas doações foram feitas em decorrência de promessas de benesses ou de abstenção de criar entraves por parte dos agentes do Governo”, afirmam ainda os autores da ação.Portal Exame

VIVENDO NO BRASIL 2

VISITA DE ESTADO - Trump e Temer juntos na Casa Branca?

Jornal 'Washington Post' chamou Temer de 'Trump-like leader' (Fotos: Wikipédia)

Este mês o presidente americano, Donald Trump, manifestou interesse em receber Michel Temer na Casa Branca e discutir o comércio e os investimentos bilaterais. Foi quase um convite feito durante uma conversa telefônica no dia 18 de março. Trump ligou para Temer para discutir o estreitamento das relações comerciais. O Palácio do Planalto não confirma, mas Trump provavelmente queria ser tranquilizado em relação à fiscalização da carne brasileira exportada para os EUA.

Trump, como se sabe, radicalizou seu discurso de “America First” durante a campanha presidencial, anunciando medidas protecionistas para defender empresas americanas da competição estrangeira e colocar os EUA sempre em primeiro lugar. Mas o governo Temer acha que a nova postura americana pode abrir portas para exportadores brasileiros e vê novas oportunidades de negócios.

Caso Trump faça valer sua promessa de retirar os EUA do Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês), assinado com México e Canadá, e do Acordo Comercial Transpacífico (TPP), o Brasil poderia suprir parte do vácuo e aumentar sua participação no mercado dos EUA. Atualmente, o maior parceiro comercial das indústrias brasileiras é a China.

“O Brasil não representa uma ameaça para os Estados Unidos. Existem muitas oportunidades de investimentos em ambos os países”, disse uma fonte governamental de alto escalão.

Não ameaça porque o Brasil importa mais do que exporta para os EUA, acumulando um déficit de R$646 milhões no ano passado e não atrai investimentos que tirem empregos americanos, por enquanto.

Semelhanças entre os mandatários

Trump e Temer têm pontos em comum. No mês passado o jornal Washington Post chamou Temer de “Trump-like leader”, pela guinada à direita que ele deu ao país após 14 anos de PT. “Temer abraçou a direita, mas a direita não o abraçou”, diz o jornal, lembrando que a popularidade de Temer não passa de 14%, se igualando a de Dilma antes do impeachment.

Este mês a colunista do Globo Dorrit Harazim publicou artigo intitulado “Trump, Temer e as Mulheres”, destacando o machismo dos seputagenários. Enquanto Temer tende a reduzir o papel da mulher aos afazeres domésticos, Trump trata mulher como carne. “Recasados há mais de uma década com mulheres bem mais jovens, conseguem mantê-las encasteladas da imprensa, dosam sua exposição pública, e tentam blindá-las contra a voracidade das mídias sociais”, escreve a colunista.

Na conversa entre os dois , que durou cerca de 20 minutos, Trump teria congratulado Temer pelas reformas adotadas e os resultados alcançados para fazer o Brasil voltar a crescer. Provavelmente está aliviado por não ter de lidar com Dilma, o tipo de mulher durona que ele despreza.

A possível visita de Temer à Casa Branca ainda não tem data prevista. A assessoria do governo não comenta o assunto.Reuters

COMÉRCIO EXTERIOR

Mercosul e Aliança do Pacífico estudam aproximação

Aproximação vem sendo discutida desde 2014 (Foto: Flickr/Calle2)

O Mercosul e membros da Aliança do Pacífico na América do Sul estudam uma aproximação. O anúncio foi feito pela presidente do Chile, Michelle Bachelet.

Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, Bachelet confirmou que está marcada para o próximo dia 7 de abril, em Santiago, uma reunião entre chanceleres sul-americanos dos dois blocos, onde será traçado um plano de aproximação.

“Fizemos uma proposta ao Mercosul e vamos ver quais são os elementos sobre os quais eles poderão aceitar para seguir avançando. Já estamos trabalhando em uma aproximação desde o ano passado e agora esperamos um protocolo de acordo. No dia 7 de abril nos reuniremos e vamos avaliar onde é que podemos avançar”, disse Bachelet.

Entre os assuntos que serão discutidos está a redução de tarifas de importação, conhecida como desagravação tarifária. Tal proposta vem sendo discutida desde 2014 e deve ser implantada já em 2019.

Segundo Bachelet, o encontro entre os blocos visa retomar a integração entre os países do continente, que segundo ela, vive um momento de inflexão gerado por escândalos de corrupção e redução do crescimento por conta da queda nos preços das commodities. Este ano, após dois anos de retração, o PIB da América do Sul está previsto para crescer 1,3%. Diante disso, Bachelet vê a aproximação entre os blocos como “algo muito bom”. “O que nunca desejamos é que estejam de costas o Pacífico e o Atlântico”, disse a presidente.

Fontes diplomáticas ouvidas pelo jornal afirmaram que o governo brasileiro comparecerá ao encontro “sem tabus” e disposto a falar sobre “todos os assuntos de integração”.

Proposta antiga

A proposta de aproximação vem sendo estudada desde 2014, quando o presidente colombiano Juan Manuel Santos esteve no Brasil para assistir a partida Colômbia X Costa do Marfim, pela Copa do Mundo, e depois se reunir no Palácio da Alvorada com Dilma Rousseff. Na época, Santos tentou dissipar a ideia de rivalidade entre os dois blocos, afirmando que a Aliança do Pacífico “não é contra ninguém” e que “uma sinergia com o Mercosul seria bem-vinda.

No entanto, apesar das afirmações de Santos, especialistas afirmam que o Brasil sempre se incomodou com a propaganda da Aliança do Pacífico como um bloco rival à suposta ideologização do Mercosul. Foi nesse contexto que, em 2014, membros do Mercosul se reuniram em Caracas para discutir a proposta de redução de tarifas para os países latinos que integram a Aliança do Pacífico. A ideia visava reafirmar o protagonismo brasileiro e provar que o que norteia as ações do Mercosul é a integração, não a ideologia. No entanto, isso não muda o fato de que as duas maiores economias do Mercosul, Brasil e Argentina, são também as mais protecionistas.

Efeito Trump

Embora seja antiga, a ideia de aproximar o Mercosul e a Aliança do Pacífico sempre caminhou vagarosamente e com muita cautela. Porém, a chegada de Donald Trump à Casa Branca, com suas declarações anti-globalização e pró-protecionismo deixaram em alerta parceiros comerciais da América do Sul, que aceleraram os esforços para buscar parcerias alternativas.

Tal fato iniciou um movimento a passos largos em direção à integração regional como forma de se blindar contra o protecionismo americano. Em fevereiro deste ano, o presidente argentino Mauricio Macri se reuniu com Michel Temer em Brasília para impulsionar as negociações de um acordo entre a União Europeia e o Mercosul, proposta que se arrasta há mais de uma década.

Na entrevista dada ao Estado de S. Paulo, Bachelet, sem citar Trump, classificou o “neoprotecionismo” e o discurso anti-comércio como “problemas reais”. “A globalização é irreversível, ainda que tenhamos de corrigir seus desvios”, disse a presidente chilena.BBC

CRISE VENEZUELANA

Como a comunidade internacional poderia ajudar a Venezuela?

O encontro não resultou num plano claro para resolver a crise venezuelana (Foto: Lula Marques/ AGPT)

A situação da Venezuela não é nada boa, e a comunidade internacional vem discutindo como poderia ajudar o país. A Organização das Nações Unidas anunciou, no mês passado, que a Venezuela perdeu o direito de voto na Assembleia Geral, porque o país não pagou as contribuições compulsórias à organização. Na última terça-feira, 28, diplomatas convocaram um encontro raro em Washington para discutir o que poderia ser feito para restaurar a democracia no país.

O encontro na Organização dos Estados Americanos (OEA) não resultou num plano claro para resolver a crise humanitária e política da Venezuela. No entanto, o fato é profundamente constrangedor para a Venezuela.

Os Estados Unidos de Donald Trump acham que a situação justifica uma intervenção militar. No entanto, uma coalizão dos membros da OEA, liderada pelo México, não está comprando a ideia. Outra proposta é expulsar a Venezuela do grupo. Contudo, é difícil ver como isso poderia mudar a situação do país. Na verdade, Maduro poderia ficar ainda mais impetuoso.

A comunidade internacional poderia então encontrar maneiras de aliviar os principais problemas do país, segundo o editorial do New York Times. O assunto mais urgente é persuadir o governo a aceitar ajuda humanitária, já que muitos venezuelanos estão sofrendo com a falta de comida. Outra prioridade internacional é pressionar o governo a realizar eleições locais, que foram suspensas no ano passado, além de soltar presos políticos. Alguns deles estão presos há anos. Finalmente, a comunidade internacional deveria propor reformas macroeconômicas que poderiam fazer com que a Venezuela freasse a inflação e estabilizasse sua moeda.

No entanto, é bem provável que o governo de Maduro rejeite todas as ideias e as considere uma intromissão de seus vizinhos. Ainda assim, as propostas se tornariam difíceis de rejeitar caso a coalizão internacional as apresentasse ao povo venezuelano como uma forma de assistência, e não como uma afronta à soberania do país.The New York Times

VIVENDO NO BRASIL 1

CORRUPÇÃO NA RÚSSIA

Despertar da juventude russa deixa Kremlin em alerta

Policiais russos prendem um jovem manifestante em Moscou (Foto: Twitter)

No último fim de semana, o Kremlin foi surpreendido por protestos contra corrupção em quase 100 cidades da Rússia. As manifestações deixaram o governo atordoado não só pelo seu tamanho e espontaneidade, mas pela presença majoritária de jovens, abaixo dos vinte anos, que não conheceram outro governo a não ser o do presidente Vladimir Putin, no poder há 17 anos.

Ainda não está claro se a empolgação da juventude russa é momentânea ou se sinaliza uma nova era. Para o jornalista russo Artyom Troitsky, a presença em massa dos jovens “é excepcionalmente importante”. Segundo ele, os jovens sempre foram catalisadores de mudanças, logo, sua presença indica um ponto de inflexão na política. Além disso, ela mostra que os jovens estão deixando a apatia de lado para se engajar em questões políticas.

Tal ideia é compartilhada por Aleksei A. Navalny, líder da oposição e ativista contra corrupção que convocou os protestos – e foi condenado a 15 dias na prisão por isso. Ele diz que os protestos deram novo fôlego a ele para seguir com a pressão contra o governo. “Acho que os eventos de ontem [domingo] mostram que há um grande numero de eleitores russos que apoiam a agenda de um candidato que dá voz à luta contra a corrupção”, disse Navalny, ao jornal New York Times.

É dado como certo que Navalny não tem chances de vitória. Principalmente, porque está suspenso da disputa por uma condenação por fraude em fevereiro deste ano, suspeita de ser uma manobra política do Kremlin.

Porém, não é essa a questão. Segundo Samuel A. Greene, especialista em manifestações russas da King’s College London, Reino Unido, Navalny se tornou um agente crucial para mostrar à população que a “camada de gelo” que cobre os horizontes políticos do país pode ser quebrada.

“As pessoas – tanto no Kremlin como os 80% que dizem apoiar Putin – há anos vêm agindo assim porque consideram o ‘gelo’ muito espesso e impossível de ser quebrado. O que Navalny está fazendo é mostrar que não é, e que um dia irá se quebrar”, disse Greene.

Essa mudança ocorre também pelo maior acesso à informação entre os jovens, que hoje não se informam pelos veículos estatais, mas sim pela internet, e pela eleição de Donald Trump, que deixou Putin sem um bode expiatório americano para os problemas da Rússia.

Apesar da dinâmica dos protestos, Putin ainda goza de amplo apoio. Sua popularidade está caindo, mas lentamente. Segundo uma pesquisa elaborada pelo Levada Center, uma entidade pública de Moscou, a aprovação de Putin caiu de 86%, em 2015, para 84%, em fevereiro deste ano.

Analistas, no entanto, afirmam que a queda será contínua, especialmente após desvanecer a euforia nacionalista gerada com a anexação da Crimeia. É o que diz um estudo do sociólogo Mikhail Dmitriev. Segundo ele, conforme o fervor da anexação se dissipa, os inimigos estrangeiros não serão mais o principal alvo da indignação popular, mas sim os burocratas do governo. Especialmente em Moscou, onde está concentrada a classe média russa. Dmitriev prevê uma escalada na demanda por desenvolvimento humano, educação, saúde e outros serviços do governo.The New York Times

CORRIDA POR RECURSOS

Relatório diz que EUA estão perdendo a disputa pelo Ártico

Documento pede uma abordagem mais estratégica para a região (Foto: Flickr/U.S. Geological Survey)

Os Estados Unidos correm o risco de perder a batalha pelo Ártico para a China e a Rússia. O alerta é de um relatório publicado na quarta-feira, 22, pelo Conselho de Relações Exteriores. Com sede em Nova York, o conselho é um órgão privado e apartidário, destinado a alertar o governo para questões internacionais.

A temperatura no Ártico vem aumentando a um ritmo quase duas vezes mais rápido que outras regiões do planeta. Conforme o gelo derrete, surge gradualmente a possibilidade de explorar novas rotas marítimas, reservas de hidrocarbonetos e pesca na região. Países como a China e a Rússia tratam o derretimento do Ártico como uma nova “corrida do ouro”, tentando maximizar seu acesso às fontes abundantes de recursos.

Segundo o conselho, os EUA estão ficando para trás nessa disputa, pois atualmente a política do país para a região é centrada em questões científicas, ambientais e energéticas. “Esses tópicos permanecem importantes, mas o aumento da atividade de outros países requer uma abordagem mais estratégica da política dos EUA para a região”, diz o relatório.

O documento faz um forte apelo para que o Senado americano assine a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, um tratado assinado por 160 países que determina as regras para negociar o acesso a recursos marítimos. O tratado foi apoiado pelos governos de George W. Bush e Barack Obama, mas o Senado americano se recusou a ratifica-lo. Enquanto isso não acontecer, os EUA permanecem fora das negociações para exploração dos recursos.

O relatório alerta ainda para o aumento de tensão entre EUA e Rússia que a disputa pelo Ártico pode causar. “Hoje, as ações da Rússia no Ártico demandam uma observação rigorosa e o crescente aumento de tensão entre EUA e Rússia em outras regiões pode afetar a relação dos países no Ártico”.Bloomberg

PARA FINS RECREATIVOS - Canadá deve legalizar consumo e venda de maconha em 2018

Províncias ficarão responsáveis pelo controle da venda da maconha (Fonte: Reprodução/Agência RBS)

O Canadá vai legalizar o consumo e a venda de maconha para fins recreativos a partir do dia 1º de julho de 2018. A informação foi divulgada na segunda-feira, 27, por jornais locais.

De acordo com a rede de TV canadense CBC, a medida será anunciada pelo Partido Liberal na semana do dia 10 de abril. Trata-se de uma das principais promessas de campanha do premier Justin Trudeau.

O premier ressaltou, entretanto, que, até que haja uma estrutura para controlar e regular a maconha, “as leis atuais se aplicam”. Os liberais argumentam que é preciso “legalizar, regularizar e restringir o acesso à maconha” para manter crianças afastadas e também os lucros fora das mãos de criminosos.

Quando a nova medida entrar em vigor, as províncias do país ficarão responsáveis pelo controle da venda, o que incluirá a definição da idade mínima de acesso e o preço da maconha. Quem optar por cultivar a planta em casa terá autorização para manter até quatro mudas de cannabis.

O Canadá já permite o uso medicinal da maconha. Caso a lei seja realmente aprovada, será o primeiro país do G7 (composto também por EUA, Japão, Alemanha, Reino Unido, França e Itália) a fazer a medida valer em todo o território nacional.Uol

ISRAEL X GAZA

Israel começa a construir muro subterrâneo em volta de Gaza

Muro subterrâneo bloqueará túneis do Hamas (Foto: Wikimedia)

O Ministério da Defesa de Israel começará a construir um muro subterrâneo de concreto em volta de Gaza nos próximos três meses, informou o jornal Yedioth Ahronoth na segunda-feira, 27. A medida tem como finalidade neutralizar os túneis erguidos pelo movimento islamita Hamas, que cruzam os dois territórios.

Segundo o jornal, o governo israelense enviará centenas de veículos e maquinaria pesada para 40 pontos diferentes para construir um muro ao longo dos 65 quilômetros de fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza. O chamado “projeto Obstáculo” custará cerca de US$ 810 milhões aos cofres israelenses e a expectativa é que as obras, que serão vigiadas pelo Exército, sejam concluídas em dois anos.

O muro terá sensores eletrônicos para detectar qualquer tentativa de rompimento do muro e em alguns trechos, onde há uma cerca eletrônica que não garante segurança suficiente, o muro subterrâneo será elevado também acima da superfície.

Desde a guerra de 2014 contra o Hamas o governo israelense vem cogitando a construção de um muro na fronteira. Na época, pelo menos 20 soldados israelenses morreram em emboscadas de milicianos do Hamas, que atravessaram a fronteira por túneis, expondo a sua vulnerabilidade.

Com isso, Israel já investiu US$ 324 milhões para detectar esses túneis e há alguns meses tem feito experimentos em trechos de algumas centenas de metros, a fim de verificar a eficiência e a viabilidade do projeto.

Para autoridades militares, a construção do muro deve ser bem analisada, já que a chegada de maquinário pesado na fronteira pode provocar novos enfrentamentos na região e o Hamas poderia reagir com ataques.Agência Brasil

CUSTO DE VIDA - Cidades asiáticas estão entre as mais caras do mundo

Cinco das seis cidades mais caras do mundo situam-se no continente asiático (Foto: Pixabay)

Cingapura mantém sua posição da cidade mais cara do mundo pelo quarto ano consecutivo, de acordo com a última avaliação do custo de vida da Economist Intelligence Unit, uma unidade do The Economist Group. A pesquisa, que compara os preços de 160 bens e serviços em 133 cidades no mundo inteiro é usada, em especial, por gestores de recursos humanos para calcular a remuneração de pessoas que exercem cargos no exterior. Segundo o resultado da pesquisa, Cingapura era 20% mais cara do que Nova York e 5% mais cara do que Hong Kong, classificada em segundo lugar.

A recuperação do iene aumentou o custo de vida em Osaka e Tóquio. Cinco das seis cidades mais caras do mundo situam-se no continente asiático. Esse alto custo de vida na Ásia contrasta com a queda gradual da posição das cidades europeias no ranking, que há 10 anos ocupavam a posição de oito dos dez lugares mais caros do mundo e agora se reduziram a apenas quatro.

No Reino Unido, a desvalorização da libra esterlina após o referendo do Brexit foi responsável pela queda da classificação de Londres e Manchester no ranking. A posição de Londres é a mais baixa em 20 anos.

O custo de vida também diminuiu nas cidades americanas, embora continuem caras em comparação com a avaliação feita há cinco anos, quando Nova York ficou na 46ª posição. Das 16 cidades pesquisadas nos Estados Unidos, só São Francisco e Lexington, Kentucky, subiram no ranking.The Economist

TRAGÉDIA HUMANITÁRIA

Crise de fome sem precedentes ameaça quatro países

Fome coloca em risco a vida de 20 milhões de pessoas (Foto: Andy Hall/Oxfam)

Uma crise humanitária sem precedentes ameaça três países da África e um do Oriente Médio. Pela primeira vez, quatro países atravessam uma crise de fome na mesma época, colocando em risco a vida de 20 milhões de pessoas.

Os países afetados são: Sudão do Sul, Somália, Nigéria e Iêmen. Segundo agências internacionais, trata-se do maior desastre humanitário desde a Segunda Guerra Mundial e as lições de crises de fome anteriores terão um papel crucial para que erros do passado não se repitam.

Uma delas é a constatação de que a crise de fome não é desencadeada apenas pela falta de alimentos, mas também de outro recurso essencial: a água. Um ser humano sobrevive semanas sem alimento, mas cinco dias sem água significa morte. Além disso, a falta de água gera condições de higiene precárias que resultam no alastramento de doenças, como a cólera. É o que está ocorrendo na Nigéria e na Somália.

Para conter essa ameaça, agentes humanitários correm contra o tempo para criar mais canais de abastecimento em campos de refugiados e fornecer para a população em risco sabão e lixeiras, itens básicos que podem salvar vidas. “Nós subestimamos o papel da água e sua contribuição na mortalidade da última crise de fome. Foi ofuscado pela falta de alimentos”, disse Ann Thomas, especialista em água e higiene da Unicef.

A fome se alastra à medida que a seca avança em várias regiões da África, afetando áreas extremamente carentes. Segundo a ONU, é necessário injetar bilhões de dólares para responder ao avanço da atual crise. Ao mesmo tempo, o presidente americano, Donald Trump, defende cortar a ajuda financeira à organização, algo que pode multiplicar o número de mortos.

Há anos cientistas alertam que as mudanças climáticas iriam aumentar a frequência de estiagens. Porém, os países mais afetados pela seca produzem quase nenhuma emissão de carbono. No Sudão do Sul e na Somália, por exemplo, carros e indústrias são escassos. Mas seus campos estão secando e seus animais estão morrendo por conta das emissões geradas em outras partes do mundo. Ou seja, as pessoas desses países sofrem os efeitos da produção desenfreada de eletrônicos e carros que elas somente irão tocar em sonho.

A fome também é fruto de conflitos armados. Segundo agentes humanitários, há alimentos e água suficientes no mundo para atender toda a população global, incluindo a dos países afetados. Porém, conflitos armados promovidos por poucos grupos afetam a vida de milhões, destruindo mercados e fazendo o preço dos alimentos saltarem a níveis exorbitantes.

No Iêmen, bombardeios e bloqueios comerciais promovidos pela Arábia Saudita mutilaram a economia e elevaram o preço dos alimentos de tal forma que atualmente centenas de milhares de crianças do país correm o risco de morrer de fome. Na Nigéria, o conflito entre o exército e o grupo extremista Al Shabab levou milhares de pessoas a adoecer por conta de doenças causadas por água insalubre e falta de higiene. No Sudão do Sul, rebeldes e forças do governo bloqueiam intencionalmente a entrada de alimentos e sequestram os caminhões de ajuda humanitária. Com isso, comunidades inteiras permanecem isoladas em regiões pantanosas, tentando sobreviver ingerindo plantas e água infestada de vermes.The New York Times

quinta-feira, 30 de março de 2017

MENSAGEM DO DIA

'QUINTO DA COROA'

Operação da PF mira presidente da Alerj

Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Nesta quarta-feira, 29, a Polícia Federal cumpre um mandado de condução coercitiva (quando a pessoa é obrigada a depor) contra o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani. Além disso, cinco dos sete conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) são alvos de mandados de prisão. São eles: Aloysio Neves (atual presidente do TCE-RJ), Domingos Brazão (vice-presidente da Corte), José Gomes Graciosa, Marco Antônio Alencar e José Maurício Nolasco. No total são mais de 43 mandados, a maioria deles na cidade do Rio de Janeiro, mas também em Duque de Caxias e São João de Meriti.

Os suspeitos são investigados por fazerem parte de um esquema de pagamentos de vantagens indevidas que pode ter regularmente desviado valores de contratos com órgãos públicos para agentes do estado, em especial membros do TCE-RJ e da Alerj. Ironicamente, o Tribunal de Contas é o órgão responsável pela fiscalização da aplicação dos recursos públicos feitos pelo governo estadual.

Segundo a Polícia Federal, acredita-se que os agentes públicos teriam recebido valores indevidos para viabilizar a utilização do fundo especial do TCE-RJ para pagamentos de contratos atrasados do ramo alimentício junto ao Poder Executivo do estado. Em contrapartida, eles receberiam uma porcentagem desse valor por contrato faturado.

A operação “Quinto da Coroa” não é uma nova fase da Lava Jato, mas um desdobramento da Operação Descontrole, de dezembro do ano passado, que investigava crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O nome Quinto da Coroa é uma referência a um imposto cobrado por Portugal dos mineradores de ouro no período do Brasil Colônia.

As informações que embasaram essa nova operação tiveram origem na delação premiada do ex-presidente do Tribunal de Contas, atual conselheiro Jonas Lopes, e de seu filho, Jonas Lopes Neto, alvo da operação Descontrole.Agência Brasil

CUBA / APOSENTADORIA

Cuba tem aposentadoria ‘imaginária’, diz ‘Economist’

Em Cuba, a expectativa de vida ao nascer é de 79 anos, enquanto os brasileiros vivem, em média, até os 76 anos (Foto: Pixabay)

O paraíso socialista, supostamente, oferece à sua população uma rede de segurança social do berço ao túmulo. Mas a rede está cheia de buracos. Embora Cuba tenha um dos sistemas de aposentadoria mais abrangentes e antigos da região, nos últimos anos o benefício se tornou “imaginário” porque os valores são minúsculos, diz uma reportagem da última edição da revista Economist.

A título de comparação, o sistema previdenciário brasileiro é considerado um dos mais generosos do mundo. No mês passado, a mesma revista Economist fez uma análise do sistema previdenciário brasileiro que publicamos aqui. Ela reconhece o rombo na previdência e a necessidade de uma reforma para impedir, por exemplo, que alguns brasileiros se aposentem por tempo de contribuição aos 50 anos e que viúvos e viúvas embolsem o valor integral das pensões de seus falecidos cônjuges.

No caso de Cuba, pensões foram congeladas e os valores consumidos pela inflação quando a economia cubana estacionou, diz a revista. O governo não fez as reformas econômicas necessárias e também parou de receber petróleo barato da Venezuela. A revista menciona o caso do geneticista Norberto Mesa, de 66 anos, que virou manobrista para complementar a aposentadoria de 340 pesos (cerca de R$ 40!) que recebe do governo. Com o emprego consegue 4 mil pesos (cerca de R$475) a mais por mês.

De acordo com as estatísticas mais recentes do governo da Ilha, a partir de 2010 um terço dos cubanos que passaram da idade de se aposentar continuava trabalhando. Três quintos dos idosos declararam que muitas vezes tem de se virar sem algumas necessidades básicas. Curiosamente, apesar de toda a generosidade do sistema previdenciário brasileiro, segundo uma pesquisa divulgada em setembro do ano passado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), mais de um terço dos brasileiros que se aposentam continuam trabalhando também. Considerando o percentual de aposentados que tem entre 60 e 70 anos, esse percentual sobe para 44,2%.

Não é só em Cuba que idosos podem ser vistos nas ruas vendendo jornais e amendoins, ou catando latas para reciclagem. A revista menciona que muitos idosos em Cuba estão esfregando pisos em casas ricas ou cozinhando para um número crescente de restaurantes e padarias, mas no Brasil não é diferente.

Em Cuba, a expectativa de vida ao nascer é de 79 anos, enquanto os brasileiros vivem, em média, até os 76 anos. Os cubanos com mais de 65 anos agora compõem 14% da população. No Brasil, eles são 8,5% da população, atualmente.The Economist

COMPORTAMENTO





RELAÇÕES EXTERIORES

Itamaraty anuncia remanejo de diplomatas em postos cobiçados

A medida tem como finalidade reequilibrar o número de diplomatas no Brasil e no exterior (Foto: Wikimedia)

O Ministério das Relações Exteriores iniciou um processo para reduzir o número de diplomatas nos chamados postos A, os mais cobiçados e de maior custo – o caso de embaixadas e consulados em Nova York, Londres e Paris. A medida tem como finalidade reequilibrar o número de diplomatas no Brasil e no exterior.

De acordo com o Itamaraty, há uma sobra de diplomatas em postos A, enquanto faltam quadros para preencher vagas em postos D, os menos procurados. É o caso das embaixadas brasileiras em Freetown, capital de Serra Leoa, Bagdá, no Iraque e Pyongyang, Coreia do Norte.

Nesta segunda-feira, 27, o ministério enviou uma circular aos pontos onde há um numero considerado suficiente ou excessivo de diplomatas. Nela, o Itamaraty pede detalhes das funções de cada integrante do posto e a partir daí decidirá onde serão feitos os cortes.

Logo após assumir o Ministério das Relações Exteriores em 2016, José Serra pediu um estudo para avaliar o custo e a utilidade de postos diplomáticos, principalmente na África e no Caribe, abertos durante os governos Lula (2003-2010) e Dilma Rousseff (2011-2016), para eventualmente fechá-la.

No entanto, a ideia de fechar postos traria grandes despesas ao governo brasileiro envolvendo ações trabalhistas e quebras de contrato, além de ter custo político. Dessa forma, a redução de cargos em postos nobres aparece como uma solução mais viável para o déficit de diplomatas em Brasília e em postos D.

A proposta de redução tem gerado insatisfação entre os diplomatas, já que pelas novas regras eles seriam obrigados a trabalhar em um posto D após servir três anos em um posto A e mais três em um posto B, como Liubliana, capital da Eslovênia. Eles consideram que a medida restringiria a possibilidade de trabalhar em postos mais cobiçados.

O Itamaraty afirma que nenhum diplomata será retirado de sua função até cumprir seu ciclo em uma embaixada e que, dessa forma, será um processo a longo prazo.Valor Econômico

REDE PÚBLICA X SAÚDE PÚBLICA

Mais de dez mil leitos pediátricos são desativados em seis anos

Segundo a presidente da entidade, o grande problema é a falta de investimento do Ministério da Saúde na área (Foto: Pixabay)

Os números de leitos infantis despencaram entre 2010 e 2016. O Sistema Único de Saúde (SUS) fechou quase 10, 1 mil leitos de internação em pediatria clínica (para pacientes de 0 a 18 anos) durante o período. O número diminuiu de 48,2 mil vagas, em 2010, para 38,1 mil em 2016. Os dados fazem parte de um levantamento inédito feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Recém-nascidos em estado grave precisam ficar em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) neonatais. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, são necessários ao menos quatro leitos do tipo por mil nascidos vivos. No entanto, o levantamento revela que a taxa atual no país é de 2,9 por mil nascidos, resultando num déficit de 3,2 mil leitos.

“É uma situação gravíssima porque as crianças muitas vezes chegam a um serviço de pronto-socorro e não têm para onde ser encaminhadas. Sofrem a família, a criança e a equipe médica”, afirma Luciana Rodrigues Silva, presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Segundo a presidente da entidade, o grande problema é a falta de investimento do Ministério da Saúde na área. “Muitos serviços estão fechando as portas por uma questão financeira. Há ainda casos de unidades desativadas porque não têm profissionais suficientes no quadro.”

No Tocantins, por exemplo, não há serviço que faça cirurgia cardíaca infantil. O governo estadual depende da liberação de vagas em Goiás, que também enfrenta déficit de leitos.

“Como não há serviço organizado aqui, sempre que surge paciente com essa necessidade, o estado fica no escuro, tentando resolver de última hora e achar a vaga em outros locais”, explica Maria Roseli de Almeida Pery, promotora do Ministério Público Estadual do Tocantins.

A situação é crítica até em São Paulo, estado mais rico do país. O estado foi o que mais perdeu leitos pediátricos no período. Para piorar, a Defensoria Pública acumula casos de crianças da capital que só conseguiram vagas por decisão judicial ou cuja sentença favorável chegou tarde.

“A fila é a coisa mais cruel que existe porque quem cuida da regulação dos leitos acaba tendo que brincar de ser Deus, organizando por gravidade os que vão conseguir”, afirma Flávio Américo Frasseto, defensor público da Infância e Juventude.Estadão

VIVENDO NO BRASIL

ESTADOS UNIDOS

Trump assina decreto que estimula mineração de carvão

Decreto mostra que Trump segue revertendo a política ambiental de Obama (Foto: Public Domain Pictures)

O presidente americano, Donald Trump, tomou o mais significativo passo para desmontar a política ambiental de seu predecessor, Barack Obama. Nesta terça-feira, 28, Trump assinou um decreto orientando agentes de regulamentação ambiental a reescrever leis cruciais para a redução de emissão de carbono nos EUA.

Entre outras coisas, o decreto suspende a moratória sobre a mineração de carvão em território americano e elimina a obrigação federal de analisar impactos ambientais antes de tomar uma decisão. O decreto é um sinal indiscutível de que Trump visa arrancar pela raiz a abordagem criada no governo Obama de incluir a discussão ambiental em todos os aspectos do governo. A proposta de Trump é dar independência ao setor energético americano.

A medida ocorre após várias tentativas de Trump de reverter as restrições da gestão Obama para mineração, perfuração e operações de queima de carvão e gás. Nos primeiros dois meses de governo, Trump anulou uma lei que barrava mineradoras de poluir cursos de água e suspendeu um sistema que obrigava empresas de carvão e outras companhias de energia a pagar mais em royalties federais.

O governo Trump também anunciou que vai reconsiderar os rigorosos padrões de eficiência de combustível para carros e caminhões estabelecidos na gestão Obama, e que aprovou as obras para criar os grandes oleodutos Dakota Access e Keystone XL, interrompidas por Obama.

Acelerar a produção de combustíveis fósseis e por de lado análises climáticas pode levar a um aumento nas emissões de gases estufa, alimentando as mudanças climáticas. Além disso, a medida atrapalha os esforços globais para reduzir a emissão de carbono no mundo. Porém, Trump vem questionando repetidas vezes a veracidade das mudanças climáticas e dizendo que está determinado a dar uma resposta aos eleitores produtores de carvão que o ajudaram a entrar na Casa Branca.The Washington Post

SANGUE / TRANSFUSÕES

Cientistas produzem sangue em larga escala para transfusões


Essa não é a primeira vez que se fabrica sangue em laboratório. Ora, células-tronco já foram induzidas a formar glóbulos vermelhos, também chamados de hemácias. O problema: cada unidade origina, em média, 50 mil hemácias antes de morrer — quantidade ínfima para uma transfusão. Mas agora pesquisadores da Universidade de Bristol, na Inglaterra, revelaram um procedimento muito mais proveitoso.

A novidade consiste em manter a célula produtora de sangue em um estágio inicial (quando se chama eritroblasto). Dito de um modo simplista, os experts imortalizaram usinas celulares para que se mantenham ativas indefinidamente.

Além da possibilidade de produção em massa, Jan Frayne, que participou da descoberta, aponta outro benefício: “Os glóbulos vermelhos cultivados têm vantagem sobre o sangue do doador, como uma redução no risco de transmissão de doenças infecciosas”. Cabe esperar para ver se, na prática, o uso do líquido vermelho artificial acontecerá sem percalços.

Em países como o Brasil, onde apenas 1,9% da população é doadora, a técnica pode ser extremamente útil. Porém, um empecilho para a implementação é o alto custo. Por isso, pelo menos no começo, os especialistas explicam que o procedimento deve ser empregado em pacientes com tipos de sangue raros e escassos nos bancos de coleta.

Outra limitação envolve a produção em si. Embora o método tenha sido definido, é necessário desenvolver equipamentos e outras tecnologias para utilizá-lo em larga escala. Barreiras que, com o tempo, devem ser suplantadas. Aguardemos!...Saúde Abril

ACIDENTE / JAPÃO

Avalanche deixa mortos e feridos no Japão

Equipes de resgate continuam no local do acidente (Fonte: Reprodução/EPA)

Uma avalanche em uma pista de esqui no centro do Japão deixou pelo menos oito adolescentes mortos e outras 30 pessoas feridas, sendo duas em estado grave, na ultima segunda-feira, 27.

O acidente aconteceu na pista de esqui do complexo Nasuonsen Family Ski Resort da cidade de Nasu — cerca de 200 quilômetros ao norte de Tóquio.

Havia cerca de 60 adolescentes e professores de sete colégios do Japão no local no momento da avalanche. Eles estavam no complexo desde o último sábado, 25, participando de um programa de alpinismo, que terminaria nesta segunda. As equipes de resgate continuam no local em busca de mais pessoas soterradas pela neve.

A Agência Meteorológica do Japão havia ativado no domingo, 26, um alerta para avalanches na região após um acúmulo de 33 centímetros de neve em apenas oito horas.

Em sessão parlamentar, o premier do Japão, Shinzo Abe, disse que seu governo “fará qualquer esforço para responder a este desastre” e que “a prioridade se concentra agora em resgatar as vítimas”.Terra

RADIAÇÃO

Nível de radiação aumenta misteriosamente em alguns países europeus

Suspeitas recaem sobre testes nucleares secretos na Rússia.

O primeiro país a detectar um aumento no nível de radiação foi a Noruega. Depois seguiram-se Finlândia, França, Polônia, Alemanha, República Tcheca e Espanha. Todos registraram um crescimento moderado do isótopo radioativo conhecido como iodo-131 na atmosfera terrestre.

O iodo-131 é um elemento químico radioativo e nocivo para a saúde humana. Ele costuma aparecer após testes ou acidentes nucleares. Porém, nesse caso, não representou perigo por ter se tratado de uma quantidade muito reduzida dessa substância, e devido também à sua breve permanência no ar (o elemento se desintegra depois de 8 dias).

Rapidamente, alguns meios de comunicação acusaram a Rússia como a causadora desse fenômeno misterioso, pelo fato de terem testado secretamente uma arma nuclear no arquipélago de Nova Zembla, a noroeste do país. Mas essas teorias foram refutadas depois da confirmação de que não foi registrada nenhuma atividade sísmica na região e que outros isótopos, que costumam ser liberados na atmosfera em testes nucleares desse tipo, não estavam presentes. The Daily Star
Imagem: Shutterstock

TRIBO AMAZÔNICA

Conheça a tribo amazônica que reduz a cabeça dos seus inimigos

Guerreiros são experts em diminuir o tamanho da cabeça de suas vítimas!

Ainda hoje, os Shuaras sobrevivem na Floresta Amazônica, na região entre o Peru e o Equador. Chamados de jivaros pelos conquistadores espanhóis, esses guerreiros ferozes são conhecidos por seu costume de encolher os crânios de seus inimigos e utilizá-los como amuletos.


Estima-se que aproximadamente 120 mil indivíduos pertencentes a essa tribo vivem na região. Alguns incorporaram a cultura urbana e adotaram o catolicismo como religião, enquanto outros resistem isolados na selva e ainda conservam suas tradições milenares.

Quando duas tribos Shuaras se enfrentam, o líder do clã vencedor encolhe a cabeça do líder perdedor durante um ritual complexo, que é realizado na total solidão. Depois que o crânio é separado do resto do corpo, são retirados os tecidos moles e os ossos. Em seguida, ele é fervido por 15 minutos, seco ao Sol e untado com óleos especiais. Por fim, são colocadas pedras pequenas nas órbitas dos olhos e plumas nos cabelos. Os traços faciais ficam surpreendentemente intactos após o procedimento. Depois dessa cerimônia, a tribo derrotada se une pacificamente à vencedora. Marcianos

terça-feira, 28 de março de 2017

MENSAGEM DO DIA

PARAGUAI / BRASIL

O presidente do Paraguai, Horacio Cartes e o ministro brasileiro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes. EFE/Andrés Cristaldo Benítez

O presidente do Paraguai, Horacio Cartes, recebeu nesta segunda-feira o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Aloysio Nunes, que em visita oficial a Assunção repassou com ele a situação das "excelentes" relações bilaterais de ambos os países, conforme informou a presidência.

Nunes, que assumiu há pouco menos de um mês, viajou ao Paraguai na primeira visita bilateral a um país estrangeiro e aproveitou o momento para chamar Cartes para uma visita de Estado ao Brasil. Ele fez o convite através de seu colega paraguaio, Eladio Loizaga, com quem se reuniu pela manhã na sede da Chancelaria para assinar um memorando de entendimento sobre diplomacia pública e digital e revisar temas da agenda bilateral sobre segurança na fronteira, comércio e conectividade.

Os chanceleres também falaram sobre a possível construção de duas pontes entre os dois países, a situação da Hidrovia Paraguai-Paraná e a situação dos acordos sobre a Hidrelétrica de Itaipu. O encontro entre Nunes e Loizaga também serviu para que ambos dialogassem sobre a situação regional e internacional do Mercosul, bloco que integram junto à Argentina e Uruguai, com a Venezuela suspensa temporariamente.

Além das reuniões com Cartes e Loizaga, ministro das Relações Exteriores brasileiro se reuniu com a equipe da embaixada do Brasil no Paraguai.EFE

COMPORTAMENTO





VIVENDO NO BRASIL

Ela não foi condenada com a mãe.


Enquanto a mãe dos filhos de Sergio Cabral será solta pois os filhos de 11 & 14 anos estão precisando dela uma mãe não tem nem o direito de senta para alimenta seu filho.

Independente do que ela fez a criança não merece ser tratada dessa forma.#Tristerealidade

Brunna Louise

RELIGIOSIDADES / RIOS SAGRADOS

Rios Ganges e Yamuna ganham status de ‘entidade humana viva’

Os rios Ganges e Yamuna serão considerados entidades com o estatuto de pessoa legal (Foto: Wikimedia)

A justiça indiana decidiu dar o status de “entidade humana viva” para dois rios no país considerados sagrados, o Ganges e o Yamuna. A medida tem como finalidade combater de forma mais eficiente a poluição.

A partir de agora, os rios Ganges e Yamuna, onde a população hindu pratica seus rituais religiosos, serão considerados entidades com o estatuto de pessoa legal, com os direitos correspondentes.

A decisão da Alta Corte do estado de Uttarakhand, no Norte do país, foi divulgada poucos dias após a Nova Zelândia reconhecer como entidade viva o rio Whanganui, adorado pela tribo dos maoris, sendo o primeiro rio do mundo a receber esse status. “A situação requer medidas extraordinárias para preservar e conservar estes rios”, afirmou o tribunal indiano para justificar a medida.

Diariamente, milhares de peregrinos hindus praticam rituais tradicionais ou espalham as cinzas de seus entes queridos nas águas do rio Ganges, o de maior comprimento do país. Entretanto, a industrialização e a rápida urbanização contribuiu para que ele se tornasse também um dos mais poluídos.

“Ambos os rios são centrais para a existência de metade da população indiana, sua saúde e bem estar. Eles fornecem sustentação física e espiritual a todos nós desde tempos imemoriais”, afirmou a Alta Corte indiana.

Ativistas acreditam que a decisão judicial acelerará os esforços para despoluir os rios. Duas autoridades de estado foram indicadas como “guardiões legais” dos rios e irão representar seus direitos nos tribunais.BBC

MEIO AMBIENTE

Produção de salmão no Chile ameaça vida marinha

Setor é uma grande ameaça para o ecossistema oceânico em áreas como o norte da Patagônia (Foto: Pixabay)

O Chile é o segundo maior produtor de salmão do mundo e fornece o peixe para consumidores do Japão, Estados Unidos, Espanha e Brasil

No país, porém, a produção de salmão se tornou sinônimo de uso de toxinas e antibióticos que ameaçam o ecossistema oceânico em áreas como o norte da Patagônia, onde danos gerados pelas empresas do setor foram bem documentados.

Agora, os produtores de salmão querem fazer do Estreito de Magalhães o novo principal centro de produção do peixe mais popular do mundo. Já existem mais de 100 viveiros operando no local, principalmente em áreas declaradas como parques e reservas nacionais, e pedidos para mais 342 licenças estão sendo processados.

Alicia Gallardo, diretora do Serviço Nacional de Pesca, disse que as águas mais geladas da região são melhores para o salmão e reduzem drasticamente a necessidade de antibióticos, apesar de ainda precisarem de pesticidas para combater piolhos marítimos e outras pestes. “O futuro da produção de comida está no Chile. E é responsabilidade do país produzir comida de qualidade de uma maneira sustentável’, diz Gallardo.

Ainda que não haja evidências conclusivas, alguns biólogos marinhos acreditam que pode haver uma forte conexão entre as toneladas de resíduos de proteína jogados no oceano na forma de salmões mortos, fezes e comida do peixe, e o crescimento da chamada “maré vermelha” no Chile, composta por uma alga tóxica que mata mamíferos marinhos, moluscos e peixes, incluindo o salmão.

“Há uma relação provada entre a maré vermelha e a formação de amônia, que é o resultado da decomposição de material orgânico”, alertou o professor Tarsicio Antazana, um biólogo marinho e oceanógrafo.Aljazeera

JAPÃO / INICIATIVA

Japão oferece desconto funerário para idosos que deixem de dirigir

Em 2015, quase 4,8 milhões de motoristas no Japão tinham mais de 75 anos (Foto: Pixabay)

As autoridades japonesas estão tentando incentivar os idosos a desistirem de dirigir depois de uma recente série de acidentes, alguns deles envolvendo motoristas que confundiram o pedal do acelerador com o do freio. A última iniciativa foi a da província de Aichi, onde uma companhia que dirige 89 funerárias está oferecendo 15% de desconto para aqueles que abrirem mão de sua carteira de motorista.

Para conseguir o benefício, os idosos precisam entregar sua carteira de motorista na delegacia local, que apoia a iniciativa. O desconto pode ser estendido para membros da família, inclusive aqueles que vivem fora da província.

Segundo o Japan Times, quase 4,8 milhões de motoristas no país tinham mais de 75 anos em 2015. Esta quantidade era duas vezes maior que na década anterior. O número de acidentes fatais envolvendo idosos também subiu.

Iniciativas parecidas estão acontecendo em outros lugares do Japão. No entanto, as outras não são tão mórbidas. Algumas envolvem descontos em corridas de táxi ou em casas públicas de banho (antigamente, muitas casas no Japão não tinham banheiras. Então, as casas de banho se tornaram populares. Até hoje, elas são tradicionais no país).BBC

VENEZUELA / OEA

Maduro solicitou ao presidente do Conselho Permanente da OEA a suspensão da sessão convocada para amanhã "por um grupo de países, sem contar com o consentimento devido do governo venezuelano, tal como está contemplado nas normas que regem esta Organização regional". EFE/Cristian Hernández

O governo do presidente Nicolás Maduro solicitou nesta segunda-feira a suspensão da sessão da Organização dos Estados Americanos (OEA) prevista para amanhã para abordar a situação na Venezuela, por considerar que a convocação sem seu "consentimento" viola as normas da organização.

Segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores da Venezuela, o governo de Maduro solicitou ao presidente do Conselho Permanente da OEA a suspensão da sessão convocada para amanhã "por um grupo de países, sem contar com o consentimento devido do governo venezuelano, tal como está contemplado nas normas que regem esta Organização regional".

O governo venezuelano assegura que estão acontecendo "graves e irregulares eventos" contra o país no seio da organização regional e advertiu que se esta atuação "ilegal, unilateral e desvirtuada" persistir, a Venezuela procederá "com severidade e firmeza" através dos meios diplomáticos e do Direito Internacional.

O Conselho Permanente da OEA convocou na sexta-feira duas sessões extraordinárias sobre a Venezuela, uma hoje para receber a chanceler venezuelana Delcy Rodríguez, a pedido seu, e outra na terça-feira, para analisar "a situação" do país, solicitada por 18 Estados-membros.

O governo venezuelano denuncia que há um "assédio" contra si, dirigido pelos Estados Unidos através do secretário-geral da OEA, Luis Almagro, e por um grupo de países que formam "uma facção minoritária e fomentaram um ambiente internacional pernicioso sobre o transcorrer da vida democrática na Venezuela, pretendendo minar sua soberania e independência".

Caracas alertou sobre as "graves consequências e perigos que ameaçam a vigorosa democracia venezuelana e seu bem-sucedido modelo de direitos humanos" e advertiu que a desestabilização do país "terá efeitos para além" de suas "fronteiras, com forte impacto sobre a vida regional".

Além disso, o governo Maduro rejeitou "categoricamente" o suposto plano que esta facção de países da OEA "pretende acometer" contra a Venezuela e "o comportamento desmedido e ilícito do Sr. Luis Almagro através de suas ações criminosas contra os Poderes Públicos do Estado venezuelano".

Na sessão da OEA será avaliada a situação na Venezuela e possíveis medidas de pressão para que o governo determine um calendário eleitoral e liberte os políticos presos, algo que já foi pedido por 14 países.

A sessão de terça-feira foi convocada, segundo disseram fontes diplomáticas em Washington à Agência Efe, para "considerar a situação na Venezuela", sem mais detalhes, por isso o mais provável é que não haja votação para iniciar a aplicação da Carta Democrática Interamericana.

A Carta, o instrumento jurídico da OEA para proteger a democracia na região, contempla um processo gradual que vai desde gestões diplomáticas até, como último recurso, a suspensão de um Estado.EFE

NASA - Veja a primeira foto de sistema solar recém-descoberto

Em breve os cientistas poderão estimar o tamanho dos planetas que abrigarão os humanos do futuro!

A NASA publicou recentemente a primeira imagem real obtida do Trappist-1, um sistema solar bem similar ao nosso, composto por sete planetas do tamanho da Terra e a 39 anos-luz de distância.

A imagem foi capturada pela sonda Kepler após 74 dias de observação do novo sistema durante a missão K2. Nela, é possível observar uma imagem pixelada de uma estrela anã fria e pequenas irregularidades no brilho, o que indica a presença de planetas em trânsito na frente dela.

Assim que processarem todas as informações fornecidas pela sonda Kepler, os cientistas poderão estimar com maior precisão o tamanho dos planetas que compõem o sistema e compreender melhor seu período orbital e atividade magnética.The Daily Mail
Imagem: NASA - W. Stenzel

segunda-feira, 27 de março de 2017

MENSAGEM DO DIA

OPERAÇÃO CARNE FRACA

China retoma importação de carne brasileira

Retomada da entrada, no entanto, terá algumas restrições (Foto: EBC)

A China reabriu seu mercado para a importação de carne brasileira e vai retomar nesse segunda-feira, 27, os procedimentos aduaneiros para a entrada do produto no país. A informação ainda não foi anunciada oficialmente, mas foi confirmada ao jornal Estado de S. Paulo pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi.

Há quase uma semana, o país suspendeu a entrada da carne brasileira em resposta às denúncias da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. Desde então, todos os carregamentos que chegaram ao país ficaram retidos nos portos chineses.

A retomada da entrada, no entanto, terá algumas restrições: serão bloqueados os produtos fabricados na SIF350, planta da JBS localizada na Lapa, no Paraná, e produtos cujos certificados foram assinados por pessoas investigadas pela operação. “São sete fiscais que têm problema, e todas as cargas que eles assinaram estão suspensas. O resto está liberado”, disse Maggi.

A notícia foi um alivio para o governo, que nos últimos dias vem se empenhando para retomar a confiança dos importadores em relação à carne brasileira. Além disso, o governo espera que a decisão de Pequim influencie a União Europeia, a região administrativa de Hong Kong e mais 14 países que suspenderam a entrada da carne brasileira.

Maggi acredita que o próximo governo a liberar a entrada do produto será o de Hong Kong. “Acho que Hong Kong, como é um entreposto, tem muito mercado com a China. Se a China nos liberou, não tem porque eles nos manterem suspensos. Foi importante por todo o trabalho que foi feito essa semana”, disse o ministro.Estadão

CULTURA NO RIO

Rio abriga exposição de Gaudí, símbolo maior do modernismo catalão

Visitantes sob a abóbada do cruzeiro da Basílica Sagrada Família (Fotos: Claudio Carneiro)

Até o dia 30 de abril, o público carioca terá a oportunidade de ver mais de cem obras – entre objetos, mobiliário e maquetes – criados pelo mestre catalão Antoni Gaudí, arquiteto cujo simbolismo se confunde com a própria Barcelona, cidade que reúne suas principais obras – desde portões a igrejas e edifícios. O Museu de Arte Moderna (MAM) abre suas portas para a exposição “Gaudí, Barcelona 1900”. Completam a mostra cerca de 40 trabalhos de artistas e artesãos influenciados pelo grande artista e a avançada cena de Barcelona naquele início de século XX.

Maquete da Casa Batiló

Destaque para a maquete do conjunto da Basílica da Sagrada Família – obra inacabada do artista que,aos 73 anos, foi atropelado e morto por um bonde no cruzamento da rua Gran Vía de las Cortes com a rua Bailén, em Barcelona. A exposição no MAM é rica em modelos tridimensionais que ressaltam a genialidade do design do arquiteto, tanto na confecção de maçanetas, peças de cerâmica ou grades de ferro quanto em projetos de fachadas, portais e edifícios.

Mesmo criticado por alguns colegas contemporâneos por suas obras rebuscadas, nada previsíveis e nunca retilíneas, Gaudí teve uma legião de seguidores e artistas que se deixaram influenciar por sua genialidade. A arte de Gaudí não dá espaço para a simplicidade ou ao minimalismo. As peças exibidas no MAM – algumas delas em movimento – são oriundas do Museu de Arte da Catalunha, Museu do Templo Expiatório da Sagrada Família e da Fundação Catalunya La Pedrera.

Segundo a curadora do Instituto Tomie Ohtake – instituição que também viabilizou a vinda de obras inéditas de Salvador Dalí, em 2014, e Pablo Picasso, em 2016 – a virada de Barcelona em 1900 marca o momento em que a cidade buscava aumentar seu traçado urbano. Priscila Gomes destaca que é neste momento que surgem novos arquitetos e designers para marcar essa nova era. “Gaudí é um arquiteto que assombra por sua genialidade – pensando volumetricamente sua produção, buscando na natureza suas formas geométricas. O ovo de uma galinha, por exemplo, inspira a produção de algumas de suas janelas”, ressalta.

Quem for ao MAM verá ainda a grade de ferro da Casa Vicens – um dos carros-chefe do artista – a abóbada do cruzeiro da Basílica Sagrada Família, as maquetes do Castel de Tres Dragons, da Casa Batiló, cerâmica vitrificada e decorativa criada pelo próprio Gaudí, além de estudos de formas e colunas somente possíveis graças à genialidade do arquiteto, o único da História a concorrer à santidade.

Isso mesmo. A extrema religiosidade de Antoni Gaudí i Cornet leva o Vaticano a estudar sua beatificação. Se operou milagres que justifiquem a condição de santo? Basta visitar a exposição no MAM e concluir por conta própria. O museu não abre às segundas. A entrada é gratuita às quartas-feiras. Nos demais dias, o ingresso custa R$ 14,00, a meia entrada custa R$ 7,00.Por Claudio Carneiro

IGREJA CATÓLICA

Papa Francisco enfrenta oposição de tradicionalistas no Vaticano

Francisco corre o risco de ser lembrado como um papa que não tomou medidas enérgicas para combater a pedofilia e os abusos sexuais (Foto: Flickr)

A ilha de Guam no oceano Pacífico está a mais de 12,000 km de distância da Cidade do Vaticano. No entanto, no mês passado, esse território distante dos Estados Unidos foi palco de duas das questões mais controversas que o Papa Francisco enfrenta, o escândalo do abuso sexual do clero e a oposição dos sacerdotes conservadores.

O cardeal Raymond Burke passou dois dias em Guam presidindo o julgamento do arcebispo Anthony Apuron acusado de molestar coroinhas. O arcebispo é o clérigo católico investido de maiores poderes e atribuições pela Igreja a ser julgado por acusações de abuso sexual. O processo pode demorar anos. Afinal, o cardeal Burke, um conservador radical, é o crítico mais contundente do papa.

O desafio da autoridade papal por parte de uma minoria de sacerdotes católicos nos últimos meses é o conflito mais grave enfrentado por um pontífice desde a crise na década de 1970, quando o falecido arcebispo Marcel François Lefebvre rejeitou o pedido formal da Santa Sé de dispensar de suas funções os clérigos da Fraternidade Sacerdotal de São Pio X.

No mês passado, os funcionários do Vaticano receberam em seu e-mail o que parecia ser uma versão digital do jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano. Ao abri-lo, eles encontraram um fac-símile perfeito do jornal ridicularizando o chefe supremo da Igreja Católica e representante de Deus na Terra. A manchete dizia “Ele respondeu!”, uma referência sarcástica à recusa do papa em responder a uma carta de quatro cardeais conservadores, entre eles o cardeal Burke, datada de setembro de 2016, porém só divulgada pelos cardeais em novembro.

A carta desafiou o Papa Francisco a declarar que o texto de sua encíclica, Amoris Laetitia (“A Alegria do Amor”), um documento no qual pedia que a Igreja fosse menos rígida e mais compassiva com seus membros “imperfeitos”, como os que se divorciaram e voltaram a casar, obedecia aos princípios da longa tradição da doutrina católica. Nas notícias do Osservatore falso, as quatro respostas foram “sim e não”.

Menos de uma semana antes, surgiram cartazes em Roma pedindo ao papa, desrespeitosamente chamado no dialeto romano de Francé, que explicasse como sua defesa da compaixão pelo ser humano se harmonizava ao tratamento dispensado às instituições católicas, inclusive à Cúria romana, o corpo administrativo que ajuda o papa a exercer suas funções de Sumo Pontífice.

Em 2014, o Papa Francisco criou a Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores (CPPM), com o objetivo de proteger os menores e evitar a repetição de casos de abusos sexuais na Igreja Católica. Desde então, tem se discutido a eficácia de suas ações. Um membro queixou-se que os recursos recebidos pela Comissão eram insuficientes para custear suas atividades.

E no mês passado, a Comissão sofreu um duro golpe em sua credibilidade com a renúncia da irlandesa Marie Collins, uma vítima de abusos sexuais na infância por sacerdotes. Em seu pedido de demissão, Collins referiu-se à “falha da Congregação para a Doutrina da Fé em não responder as cartas das vítimas”. Um ano antes o inglês Peter Saunders, também vítima de abuso sexual, fora demitido sem seu conhecimento.

Duas das mais importantes recomendações da Comissão não foram atendidas. O projeto de criação de um tribunal para julgar os bispos acusados ​​de omissão perante alegações de abuso não se concretizou. Além disso, a Comissão não divulgou diretrizes para as dioceses referentes à prevenção, detecção e providências a serem tomadas em casos de abusos.

O Papa Francisco esforçou-se para que a Igreja aceitasse e convivesse em harmonia com um mundo no qual muitos católicos não obedecem aos princípios da doutrina cristã, com o uso de métodos artificiais de contracepção e a prática de coabitação antes do casamento. Mas poucos compartilham sua opinião que a homossexualidade não é um pecado.

Existe um perigo crescente que o Papa Francisco não seja lembrado como um pontífice corajoso, que lutou para introduzir reformas na Igreja Católica, e sim como um papa que não tomou medidas enérgicas para combater a pedofilia e condenar os bispos cúmplices de abusos sexuais.The Economist

SINAL INCOMUM

Ondas de rádio no espaço podem ser sinais de extraterrestres

Até agora, os astrônomos detectaram 17 vezes o fenômeno astrofísico das Rajadas Rápidas de Rádio (Foto: Pixabay)

Em 24 de agosto de 2001 o Observatório de Parkes, na Austrália, captou um sinal incomum. Era uma explosão de ondas de rádio vindo da direção da Pequena Nuvem de Magalhães, uma minúscula galáxia que orbita em torno da Via Láctea. A explosão foi curta, porém muito potente. Durou cerca de 5 milésimos de segundos, mas, durante esse período, seu brilho tinha a potência de 100 milhões de sóis. No entanto, essa explosão só foi observada pelos astrônomos em 2007, quando estavam pesquisando os dados arquivados no observatório. E o sinal nunca se repetiu.

Desde então, sinais semelhantes foram captados em outros lugares do espaço. Até agora, os astrônomos detectaram 17 vezes o fenômeno astrofísico das Rajadas Rápidas de Rádio (FRBs), que consiste em pulsos de ondas de rádio de curta duração. Esse fenômeno é diferente de todos os sinais já observados e há muita especulação em torno da causa dessas ondas. Uma hipótese sugere que as magnetares, estrelas de nêutrons que possuem um campo magnético extremamente potente, possam provocar essas ondas. Outra hipótese seria a existência de um tipo raro de buraco negro.

Mas, na teoria de Manasvi Lingam da Universidade de Harvard e Abraham Loeb do Harvard-Smithsonian Centre for Astrophysics, as FRBs poderiam ser resultado da propulsão de naves espaciais de seres extraterrestres. Em um artigo a ser publicado na revista científica Astrophysical Journal Letters, os pesquisadores sugeriram que os pulsos de ondas de rádio de curta duração podem ser causados por transmissores gigantescos de rádio, que impulsionam essas naves espaciais.

Com a rotação das galáxias onde esses transmissores estão localizados, os raios se irradiam pelo espaço. Às vezes, um desses raios atinge a Terra, produzindo uma onda de rádio.

Essa ideia não é inteiramente destituída de sentido. Os cientistas espaciais têm feito pesquisas nessa linha de raciocínio para superar um dos maiores problemas na construção das naves espaciais. Os motores que as impulsionam carregam combustível. Mas o combustível tem uma massa específica e, por isso, precisa de mais combustível para produzir energia, o que resulta em uma alta taxa de massa na nave espacial. Por esse motivo, o combustível representa 90% ou mais do peso total de um foguete convencional no momento do lançamento.

Porém, é possível projetar um foguete sem um tanque de combustível. Esse é o princípio da vela solar, uma tecnologia de propulsão espacial por luz, que utiliza a pressão da radiação solar para impulsionar uma nave. É possível também usar feixes de luz para gerar pressão.

Yuri Milner, um físico e empresário russo, está investindo no projeto de construir uma nave espacial extremamente leve e rápida capaz de viajar até a estrela Alpha Centauri, a segunda estrela mais próxima da Terra, impulsionada por raios lasers. Segundo Manasvi Lingam e Abraham Loeb, as FRBs resultam do mesmo princípio de propulsão, nesse caso, de pulsos de ondas de rádio do espectro eletromagnético, em vez da luz visível.The Economist