segunda-feira, 24 de julho de 2017

ISOLAMENTO E CENSURA

China tenta calar viúva do ativista Liu Xiaobo

Amigos de Liu Xia afirmam que ela está incomunicável (Foto: Youtube)

Uma semana após a morte do dissidente chinês e vencedor do Prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo, as autoridades chinesas têm mantido sua mulher, a poetisa Liu Xia, em silêncio, impedindo-a de fazer qualquer contato com amigos ou com jornalistas.

“Ela está totalmente incomunicável. Parece que ela sumiu da face da Terra”, afirma Jared Genser, advogado americano de direitos humanos que fez campanha em favor do ativista e de sua mulher.

Liu Xia casou-se com o dissidente em 1996, quando ele estava preso em um campo de trabalhos forçados por criticar o governo chinês. Após o ativista ser premiado com o Nobel da Paz em 2010, a poetisa o visitou na cadeia para comemorar e acabou sendo posta em prisão domiciliar sem ter sido acusada de um crime.

Sete anos depois, Liu Xiaobo foi libertado pelo governo chinês para tratar de um câncer terminal e sua mulher recebeu permissão para vê-lo. O ativista morreu no último dia 13 deste mês e sua mulher compareceu ao velório – a última vez que a poetisa foi vista publicamente.

Embora o governo chinês insista em afirmar que a viúva está livre, ela parece ter sido posta novamente em uma prisão invisível.

Uma reportagem do jornal britânico Guardian relatou que agentes de segurança à paisana têm vigiado a casa onde Liu Xia mora, em Pequim. Segundo a reportagem, jornalistas de vários veículos de comunicação foram impedidos de tentar falar com a viúva do ativista e chegaram a ser levados pela polícia chinesa.

Além disso, o jornal aponta que há informações de que ela tenha sido forçada a se mudar para a província de Yunnan, no sudoeste do país, para evitar que ela se pronuncie sobre a morte do marido. Com isso, o paradeiro da viúva segue sendo um mistério. “Nós tentamos todas as formas possíveis de contato”, disse Hu Jia, um ativista e amigo de Liu Xia.

“Seu marido está morto. Não sabemos se ela mantém contato com alguém. Seus pais morreram. Seu irmão desapareceu e está incomunicável. E ela é a única pessoa que pode falar o que ouviu de Liu Xiaobo nos últimos sete anos em que esteve preso e nas últimas semanas de vida dele”, apontou Genser.

Para Jerry Cohen, um especialista em legislação chinesa e direitos humanos da Universidade de Nova York, a viúva de Liu Xiaobo se tornou uma figura chave da resistência chinesa.The Guardian

Nenhum comentário:

Postar um comentário