terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

SANEAMENTO BÁSICO - Uma em cada três casas do país não tem esgoto

Saneamento básico também inclui abastecimento de água e coleta de lixo (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Um levantamento feito pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) mostra que, uma década após a sanção da Lei de Saneamento Básico, uma em cada três casas no Brasil ainda está fora da rede de esgoto.

A estimativa, baseada em dados do PNAD e do IBGE, aponta para um total de 34,7% dos lares brasileiros fora da rede de esgoto em 2015, o que significa que, naquele ano, 69,2 milhões de pessoas não tinham acesso ao esgoto sanitário com mínima qualidade.

Em entrevista ao Portal Uol, o presidente da ABES, Roberval Tavares, afirmou que “hoje, as escolas brasileiras têm mais acesso à Internet (41%) que a esgoto (36%). Não que não seja importante, mas mostra bem as prioridades do país”.

O estudo revelou ainda que, no esgoto sanitário por rede, a cobertura avançou 6 pontos percentuais entre 2008 e 2015, passando de 59,3% para 65,3%. Os números referentes aos anos de 2006 e 2007 não foram utilizados pois tinham uma metodologia diferente.

O saneamento básico também inclui abastecimento de água e coleta de lixo, ambos com melhor cobertura que o esgoto. Em 2015, o abastecimento chegava a 85,4% das casas do país, já a coleta de lixo atendia 89,8% dos domicílios brasileiros.

Apesar disso, 29 milhões de pessoas ainda vivam sem acesso ao abastecimento geral de água por rede no Brasil em 2015, e 20,5 milhões sem coleta de lixo.

As diferenças regionais também são significativas no país. Enquanto no Sudeste 88,6% das casas têm esgoto ligado à rede, apenas 22,6% têm o serviço no Norte; 42,9% no Nordeste; 65,1% no Sul; e 53,2% no Centro-Oeste.

Em relação ao abastecimento de água a diferença também é significativa: enquanto no Sudeste 92,2% das casas recebem água, o índice é de 60,2% no Norte.

A desigualdade é menor quando se trata de coleta de lixo, com 96,4% dos domicílios atendidos no Sudeste e 79,1% no Nordeste.Uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário