segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

JAZZ DE LUTO -Morre, aos 76 anos, o cantor de jazz Al Jarreau


A lenda do jazz Al Jarreau, que levou sua música a novos público no mundo pop e através de aparições na televisão, morreu neste domingo (12/2), aos 76 anos. Quem confirmou a informação foi o empresário do artista. O sete vezes ganhador do Prêmio Grammy –em variadas categorias, jazz, pop e R&B – morreu em um hospital de Los Angeles, dias depois de anunciar que ia se aposentar devido à exaustão.

Um dos maiores sucessos de Al Jarreau foi Moonlighting, a música tema do seriado cult dos anos 1980 de mesmo nome e conhecido no Brasil como A Gata e o Rato, o primeiro sucesso do ator Bruce Willis. "Sua segunda prioridade na vida era a música", declarou seu empresário, Joe Gordon, em um comunicado postado no site do cantor. "Não tinha terceira prioridade. A primeira, muito antes das outras, era curar e consolar os que sofrem", acrescentou.

Nascido em 12 de março de 1940 em Milwaukee (norte), Alwyn Lopez Jarreau era filho de um pastor e de uma pianista de igreja. Começou a cantar muito jovem nos bares de sua cidade natal, onde sua voz não passou despercebida. Depois estudou psicologia, sem jamais abandonar a música.

Al Jarreau fez nome em Los Angels, Nova York e através de suas aparições na televisão. No início dos anos 1970, começou a compor as próprias canções, como Lock all the gates e Sweet potato pie. Em 2006, uniu-se a George Benson para produzir um álbum, Givin'It Up. Paul McCartney, Herbie Hancock e Marcus Miller foram alguns dos músicos convidados para esse disco.

Sempre elegante, geralmente usando gorro ou bóina preta, Jarreau foi um homem generoso e refinado, muitas vezes desdenhado pelos puristas do jazz que o consideravam um cantor de variedades, algo que não o incomodava em nada. "Minha principal contribuição para a música terá consistido em introduzir o ritmo no registro vocal", resumiu em cerca ocasião. France Presse


Nenhum comentário:

Postar um comentário