terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

EX-PRESIDENTE PERUANO - Alejandro Toledo nega estar foragido

Toledo foi presidente do Peru entre 2001 e 2006 (Fonte: Reprodução/AP)

Em uma mensagem divulgada no Twitter no domingo, 12, o ex-presidente peruano Alejandro Toledo, que teve a prisão decretada na semana passada por suspeita de ter recebido propina para favorecer a Odebrecht, afirmou que não está foragido e reivindicou a presunção de inocência.

Toledo, que foi presidente do Peru entre 2001 e 2006, ressaltou que, quando deixou o país, não havia acusações contra ele, e ainda que vai defender seu nome com a condição de que não o “prejulguem” culpado.

A Justiça do Peru expediu na última quinta-feira, 9, uma ordem de prisão nacional e internacional contra Toledo. A Promotoria quer 18 meses de prisão. O ex-presidente terá que responder como cidadão comum à Justiça, uma vez que sua imunidade parlamentar acabou cinco anos após ter deixado a presidência.

Ainda de acordo com Toledo, o juiz Richard Concepción o acusou de crimes que ele não cometeu. O ex-presidente afirmou também que o magistrado não pode provar as acusações, qualificadas como “uma caça às bruxas”. Toledo ressaltou ainda que chamá-lo de “fugitivo” é uma distorção maquiavélica e política.

Acredita-se que Toledo esteja em São Francisco, na Califórnia. Ele trabalha na Universidade de Stanford. O ex-presidente peruano é acusado de ter cometido os crimes de tráfico de influência e lavagem de dinheiro em troca da concessão da Estrada Interoceânica do Sul, que liga o norte do Brasil à costa peruana.

O atual presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, pediu ao presidente dos EUA, Donald Trump, que avalie a deportação de Toledo.G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário