quarta-feira, 30 de agosto de 2017

EXPERIMENTO TESTOTERONA

Testosterona torna homens mais impulsivos

Em geral, os homens são mais impulsivos do que as mulheres (Fonte: Reprodução/Getty Images)

A testosterona é um hormônio masculino produzido nos testículos, embora seja encontrado em menor quantidade nas mulheres. Inúmeros experimentos em animais mostraram que o aumento da testosterona afeta o nível de agressividade. E na maioria das espécies, seres humanos inclusive, os machos são mais agressivos.

Experimentos destinados especificamente a aumentar a agressividade são problemáticos do ponto de vista ético. No entanto, a agressividade não é a única característica comportamental que diferencia os sexos. Em geral, os homens são mais impulsivos do que as mulheres. Essa característica também está associada aos níveis de testosterona, uma relação explorada há pouco tempo por Gideon Nave da Universidade da Pensilvânia e Amos Nadler da Universidade de Ontário Ocidental.

A impulsividade pode ser avaliada de diversas formas. Os dois pesquisadores optaram pela avaliação da capacidade de realizar operações numéricas. No maior experimento já realizado sobre os efeitos da testosterona no comportamento dos seres humanos, descrito na revista científica Psychological Science, Nave e Nadler testaram a influência do hormônio no raciocínio matemático de 243 voluntários. Ao final do experimento, eles concluíram que a testosterona os fazia agir de maneira irrefletida e, em consequência, a cometer erros.

Ao entrarem no laboratório, os voluntários tiraram as camisas e passaram um gel no tórax e nos ombros. As amostras do gel tinham o mesmo aspecto e cheiro, mas só 125 continham testosterona. Quatro horas depois da aplicação do gel, tempo em que a testosterona teria sido absorvida em sua concentração máxima na corrente sanguínea, cada voluntário respondeu a uma série de perguntas. Três perguntas exigiam uma reflexão maior para não incorrer em erro. As outras que consistiam em somar conjuntos de números de dois a cinco dígitos exigiam apenas um bom raciocínio matemático para serem respondidas com precisão.

Como previsto, os voluntários que haviam usado o gel com testosterona tiveram um desempenho pior nas perguntas mais complexas. Os participantes do grupo de controle responderam corretamente, em média, 2,1 das perguntas mais difíceis, em comparação com 1,7 dos que tinham um nível elevado do hormônio no organismo. Já os resultados das perguntas que envolviam as operações de somar foram estatisticamente idênticos.

Os pesquisadores pretendem ampliar a abrangência de seu estudo, com grupos maiores e perguntas diferentes. Eles querem fazer também o mesmo experimento em mulheres para testar se o autocontrole feminino resiste mais à influência da testosterona.The Economist

Nenhum comentário:

Postar um comentário