quarta-feira, 30 de agosto de 2017

REFLEXO DA CRISE

Denúncias de assédio sexual perdem força no país

Neste ano, até o mês passado, foram 144 (Fonte: Reprodução/R7)

O número de denúncias de assédio sexual no trabalho vem diminuindo no Brasil em meio à crise econômica e ao aumento do desemprego.

Campanhas de conscientização e a expansão do movimento feminista contribuíram para o aumento no número de denúncias nos últimos anos. De acordo com dados do Ministério Público do Trabalho (MPT), o ano de 2015 representou, no entanto, uma interrupção neste movimento de alta que vinha sendo registrado desde 2012.

Naquele ano foram registradas ao todo 146 denúncias de assédio sexual no trabalho. Em 2015 foram 250. Com 1,3 milhão de vagas perdidas no ano passado, o número de denúncias ficou estagnado em 248. Neste ano, até o mês passado, foram 144.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o procurador Ramon Bezerra dos Santos, do MPT, explica que é muito difícil apurar um caso desse tipo. “O trabalhador que presencia essas situações muitas vezes pensa que vai prejudicar o patrão e pode perder o emprego se falar”, ressalta.

Os empregadores condenados são obrigados a pagar indenização e assinar termos de ajuste de conduta. As vítimas, por sua vez, precisam ir à Justiça comum cobrar danos morais ou então denunciar o crime de assédio sexual à polícia. No caso de órgãos públicos, é aberto um processo administrativo.Folha de S.Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário