sexta-feira, 4 de agosto de 2017

FLOR ANCESTRAL- Estudo recria imagem da 1ª flor que existiu na Terra

A ‘flor ancestral’ tem pétalas dispostas em três camadas sobrepostas (Foto: herve.sauquet@u-psud.fr)

Pesquisadores da Universidade do Sul de Paris, França, conseguiram reconstituir digitalmente a imagem do que seria a primeira flor que existiu no planeta, há cerca de 140 milhões de anos, e deu origem a todas as espécies atuais.

Recriada em 3D, a “flor ancestral” tem pétalas dispostas em três camadas sobrepostas e órgãos reprodutores masculinos e femininos no centro. O estudo foi publicado no jornal científico Nature Communications.

Para chegar à imagem, os pesquisadores analisaram características, como pétalas e sépalas (partes semelhantes a folhas que envolvem o botão da flor) das flores de 792 espécies atuais. Em seguida, eles mapearam características na árvore evolutiva de plantas com flores, o que permitiu que reconstruíssem a aparência das flores em momentos-chave de sua história evolutiva. Assim, eles chegaram à imagem do último antepassado comum a todas as espécies.

Apesar das características semelhantes, o biólogo e botânico Hervé Sauquet, um dos autores do estudo, afirma que nenhuma é exatamente como a flor ancestral. “Não há uma flor viva que se pareça exatamente com a ancestral – e por que haveria? Esta é uma flor que existiu há pelo menos 140 milhões de anos atrás e teve um tempo considerável para evoluir para a incrível diversidade de flores que existem hoje”, disse o pesquisador.

Segundo Jason Hilton, biólogo da Universidade de Birmingham, Reino Unido, que não participou do estudo, “a estrutura e organização da flor ‘ancestral’ ainda é um enigma”. “Por exemplo, nós não sabemos com certeza se a flor mais velha de todas era bissexuada ou monossexuada ou se ela era polinizada por insetos ou pelo vento”. No estudo francês, pressupõe-se uma flor ancestral bissexuada com órgãos masculinos e femininos.

Porém, Hilton afirma que o estudo aprofunda pesquisas sobre a evolução sexual das flores. “Este estudo é importante, porque nos diz o quão complexa provavelmente era a flor ancestral – agora nossa busca é encontrar algum registro ou fóssil dela. Isso se o modelo que estamos pensando for correto – apenas o tempo (e pesquisas mais aprofundadas) podem dizer isso”, disse o Hilton.BBC

Nenhum comentário:

Postar um comentário